O Secretário de Estado de Cultura, Ângelo Oswaldo, anuncia na manhã desta quarta-feira (10) a definição do futuro do Teatro Klauss Viana. A princípio, estava previsto que a casa de espetáculos, que funciona hoje em um edifício na avenida Afonso Pena, 4.001, saísse do prédio, de propriedade do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), no próximo dia 30. Entretanto, fontes do setor cultural garantem que o presidente do TJMG deve voltar atrás e permitir que o teatro permaneça no mesmo local.

 

Como o Hoje em Dia informou na última quinta-feira (4), após três anos de tentativas frustradas de negociações entre o Governo, a Oi e o TJ, representantes das instituições discutiram duas opções. As saídas discutidas na ocaisão eram a construção de um anexo ao prédio da avenida Afonso Pena, para ampliar a estrutura do Judiciário, ou a edificação de um teatro mais "modesto", no mesmo local.


Como não ficou acertado se o anexo seria construído com dinheiro do Estado ou da Oi, surgiu a possibilidade da manutenção dele no mesmo local, já que, o secretário de Cultura, Angelo Oswaldo, sinalizou que não há recursos disponíveis. Segundo ele, a melhor opção é a manutenção do teatro – e não a sua demolição conforme anunciou o Judiciário em abril – e a construção de um espaço para ampliação do Tribunal.


Se o presidente do TJ se manifestar favoravelmente ao acordo, a manutenção do Teatro Klauss Vianna ficará a cargo da Oi. Com 352 lugares na platéia e dois camarotes, o teatro foi inaugurado em março de 1990. Com 1.014 metros quadrados de área ocupada e infraestrutura tanto para eventos internos como externos, o teatro já abrigou diversos espetáculos de teatro, música e dança desde que foi inaugurado.