Nome inevitavelmente associado ao humor, Gregório Duvivier vem a Belo Horizonte para apresentar o monólogo "Uma Noite na Lua", sábado (31) e domingo (1°) no Teatro Sesiminas. Para não comprar gato por lebre, é bom saber que o texto do diretor pernambucano João Falcão conta a história de um homem em crise criativa, que luta para terminar uma peça e convive com as recordações de um amor perdido.

Duvivier não se intimidou em assumir o papel consagrado por Marco Nanini em 1998, que faturou prêmios importantes (APCA, Shell, Sharp). "Achei o texto tão bom que não consegui pensar em nada. É uma honra, um prazer", justifica, por telefone, do Rio de Janeiro. Duvivier ganhou, este ano, o prêmio da Associação dos Produtores de Teatro do Rio de Janeiro pelo mesmo papel.

O ator diz que o "grande barato" é quebrar a expectativa do público, que muitas vezes vai ao teatro em busca de boas risadas, atraído pela imagem que tem de Duvivier no Porta dos Fundos e em participações em programas como "Cilada" e "A Grande Família". Público que acaba se surpreendendo positivamente com o que encontra. "É bom levar o público para ver uma coisa que não é comédia rasgada. Adoro fazer stand up, mas é completamente diferente, a luz é muito linda, tem música, coisas surpreendentes em cena", diz. "Esse texto é sobre o amor. Fala de um cara que faz tudo pela mulher, sua musa", define.

Surpreendentemente, o moço, de 27 anos, que começou a atuar aos nove, no curso de teatro O Tablado, e desde então participou de 14 peças e 18 filmes, além de ser um dos criadores (com Fábio Porchat, Ian SBF, Antonio Pedro Tabet e João Vicente de Castro) do fenômeno da internet Porta dos Fundos, diz que, assim como o personagem que encarna em "Uma Noite na Lua", também vive crises criativas. "Toda semana tenho bloqueio criativo, faz parte da vida, tem que insistir, vencer pelo cansaço. É muito difícil escrever com obrigação de entregar o texto, mas gosto de prazos, não sei escrever de outra maneira. É bom quando a inspiração vem, mas é bom correr atrás da inspiração, é boa a sensação de eu venci o bloqueio", diz.

Bom que seja assim, porque os projetos são muitos. "Tem muitos filmes por estrear e por filmar, como o ‘Vai que Dá Certo 2’. O Porta dos Fundos vai estrear uma série em novembro, todo sábado, na internet. Ano que vem vamos fazer um filme, acabamos de lançar um livro, serão muitos desdobramentos", promete.


Serviço

"Uma Noite na Lua", com Gregório Duvivier – Sábado (31), às 21 horas, e domingo (1°), às 19 horas, no Teatro Sesiminas (rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia – 3241-7181). Duração: 70 minutos. Classificação: 12 anos.