Na turnê de comemoração dos 15 anos de carreira, o grupo Il Divo se apresenta pela primeira vez com a turnê “Timeless” em Belo Horizonte hoje à noite, no KM de Vantagens Hall. O quarteto que mistura ópera e música clássica é composto pelo barítono espanhol Carlos Marin e três tenores: o suíço Urs Buhler, o americano David Miller e o francês Sebastien Izambard, que por sua vez tinha histórico atrelado à música pop antes de se juntar à banda.

Justamente essa mistura de estilos que consagrou o grupo, que já vendeu mais de 30 milhões de discos, conquistou 160 álbuns de ouro e platina em 33 países. No repertório há desde canções recentes, como “Hola”, versão de “Hello”,da britânica Adele, e “All of Me”, de John Legend, até versões de canções antigas como “Love Me Tender”, “What A Wonderful World”, “Smile”, “All Of Me” e “Unforgettable”. Todas figuram no álbum “Timeless”, o 10º do grupo.

Turnê Brasileira
A passagem pelo Brasil começou na última sexta, quando o grupo se apresentou duas noites consecutivas em São Paulo. Domingo foi a vez de cantar no Rio de Janeiro. Após BH, Porto Alegre, Curitiba e Florianópolis. “Estamos muito contentes com essa turnê, tivemos lotação máxima todos os dias e o público brasileiro é fantástico. Sempre que apresentamos um bom espetáculo eles respondem de forma bem entusiasmada”, conta Carlos Marín.

Ainda de acordo com ele, essa receptividade vem atrelada a uma nostalgia dos fãs. “Temos até certa dificuldade em completar todo o repertório do novo álbum, porque os pedidos de música são muitos. É uma oportunidade de relembrar nossa trajetória. Durante os shows também projetamos imagens de quando éramos mais jovens para fortalecer essa memória”. 

A mais solicitada pelos brasileiros é “Regresa a Mi”, do primeiro álbum do Il Divo, versão em espanhol de “Unbreak my Heart”, da norte-americana Toni Braxton, com quem eles inclusive gravaram um dos hinos oficiais da Copa do Mundo de 2006, “Time of our Lives”.
Carlos Marín revela admiração também por artistas daqui, e até nisso o caráter do grupo se manifesta. “Desde pequeno ouço Roberto Carlos, inclusive seria um prazer enorme poder cantar com ele. Ultimamente tenho acompanhado as músicas de Anitta, bastante divertidas. iz não sem antes deixar claro tratar-se do único solteiro do quarteto.

Unidos por um notório caçador de talentos da TV

O início da banda Il Divo é peculiar, já que tratava-se de quatro músicos que não se conheciam. O grupo começou a ser formado a partir de 2003, por iniciativa do produtor musical Simon Cowell, mais conhecido do público por sua participação como jurado – e até criador de alguns deles – em programas de busca por talentos na TV, como “American Idol” e “The X Factor” e “America’s Got Talent”.

“Estava no meio de uma serie de apresentações da ópera ‘La Bohème’ em Dublin, na Irlanda, quando recebi o convite para o que achei inicialmente ser apenas a gravação de um álbum de crossover. Qual não foi minha surpresa comparecer a um auditório cheio de candidatos e perceber o que era o projeto”, lembra o barítono Carlos Marín.

Após ser selecionado para integrar o Il Divo, ele se desligou da companhia de ópera e passou a trabalhar com o grupo, processo que demandou adaptação dos integrantes. “Os primeiros anos foram bem complicados porque éramos quatro com personalidades bem distintas e que não se conheciam, então o convívio era intenso. Mas com o tempo fomos vivendo esse processo e hoje já nos consideramos uma família”, destaca.

Além das premiações, a banda se orgulha da lista de personalidades para quem já se apresentou, entre eles a rainha britânica Elizabeth II e os ex-presidentes dos Estados Unidos Bill Clinton, George W. Bush e Barack Obama.



SERVIÇO
Il Divo - turnê Timeless
Hoje, 21h, KM de Vantagens Hall, às 21h (av. Senhora do Carmo, 230, Ingressos de R$120 a R$440.