A pré-candidata do Partido Democrata à presidência dos EUA Hillary Clinton usou o debate realizado na noite deste sábado para criticar os candidatos republicanos, que ela deve enfrentar na próxima eleição geral. O maior alvo das críticas foi o candidato republicano líder nas pesquisas, Donald Trump, citado por ela em diversas ocasiões durante o debate, que teve duração de duas horas. Hillary acusou Trump de incitar o sentimento contrário aos Estados Unidos em países muçulmanos, cuja cooperação, segundo ela, é necessária no combate ao terrorismo.

Em primeiro lugar nas pesquisas entre os democratas, Hillary deu pouco espaço quando seu principal concorrente no partido, o senador Bernie Sanders, sugeriu que ela poderia rapidamente enviar militares norte-americanos a locais de conflito no Oriente Médio. Sanders também a acusou de ser muito ligada ao mercado financeiro e às empresas de Wall Street.

Nos últimos dias, as acusações entre Sanders e Hillary Clinton sobre o uso indevido de dados de eleitores controlados pelo Comitê Nacional Democrata. Recentemente, Sanders demitiu um assessor que usou uma falha temporária para acessar informações da campanha de Clinton. Questionado pelo moderador do debate, Sanders se desculpou à Hillary pelo ocorrido e afirmou que "esse não é o tipo de campanha que fazermos". Em resposta, Hillary disse que "é hora de ir em frente, porque não sabemos o quanto os cidadãos americanos estão interessados nesse assunto".

A apenas mais um debate antes das prévias, marcadas para 1º de fevereiro, Sanders e o terceiro candidato democrata, o ex-governador de Maryland, Martin O'Malley, precisavam de um bom desempenho para tomar a liderança, mantida por Hillary Clinton desde o início da campanha.

Até o momento, os debates não deram a Sanders qualquer avanço nas pesquisas. De fato, ele tem perdido espaço desde o início da campanha. No primeiro debate, realizado no dia 13 de outubro, Sanders estava 18 pontos atrás de Hillary nas pesquisas do Real Clear Politics. Um mês depois, no segundo debate, a diferença entre os dois candidatos era de 21 pontos. Antes do debate realizado ontem, Sanders estava 25 pontos atrás nas pesquisas.

Por outro lado, as diferenças entre a posição dos dois candidatos ficaram mais claras no último debate. Sanders e Hillary divergiram sobre como lidar com a crise na Síria, onde os Estados Unidos e aliados na região lutam contra o presidente Bashar al-Assad e o Estado Islâmico. Sanders defende que os EUA devem focar exclusivamente nos esforços contra os terroristas, enquanto Hillary afirma que além da luta contra os terroristas, é necessária a remoção de Assad. Fonte: Dow Jones Newswires.