Jerry Lewis passou pelo Cine Belas Artes sem ser abordado, na noite dessa segunda-feira (14). Na livraria ao lado, ficou encantado ao encontrar o DVD de “Mocinho Encrenqueiro”, tirando imediatamente R$ 12,90 do bolso para comprá-lo – um raro exemplar em sua filmoteca, já que as constantes mudanças de casa fizeram-no perder vários de seus filmes em VHS e DVD.

Só chamou a atenção quando começou a exibir algumas caretas para o fotógrafo do Hoje em Dia. “Também sou meio careteiro”, admite Jerry Lewis de Almeida, um microempresário na área de transporte que foi batizado há 44 anos com o nome do comediante. Sugestão do tio Carmo, fã do ator americano, prontamente aceita pela mãe Piedade.

Tal como o homenageado famoso, o Jerry Lewis mineiro, nascido em Itabira, também gosta de fazer piadinhas, “dependendo da hora e da ocasião”. Bom humor que sempre transparece mesmo quando tem que mostrar a carteira de identidade para comprovar o seu nome aos incrédulos. “A primeira reação de todo mundo é não acreditar”, assinala.

Simplicidade

Apesar desse problemas constantes, ele é só orgulho por carregar esse nome. Criado em Nossa Senhora do Carmo (Itabira), Jerry demorou a ver o filmes do comediante. “A gente não tinha televisão na época. Só quando vim para Belo Horizonte que a coisa melhorou, conseguindo ver quase todos os trabalhos dele”, registra.

Jerry Lewis de Almeida gosta da simplicidade e da espontaneidade presentes no humor do astro. “Ele me dá a impressão que faz algo que é do ser dele. Não é teatro. É por isso que acho os filmes dele sensacionais”, analisa o mineiro, que foi entregue pela mãe biológica para uma família adotiva, uma semana depois de nascer.

Nesses 44 anos, nunca se encontrou com outro homônimo do comediante. “Na internet, eu até vi que tem outros Jerry Lewis por aí, mas pessoalmente nunca vi. O mais comum é Jerry Adriani”, afirma o microempresário, referindo-se ao cantor brasileiro famoso na época da Jovem Guarda.

O seu grande sonho é estar frente a frente com o verdadeiro Jerry Lewis. “É algo que tenho na cabeça há vários anos. Gostaria de cumprimentá-lo e agrade- cê-lo pelos momentos de alegria que nos ofereceu por tanto tempo”, revela. Se ele carregar a mesma sorte dos personagens do comediante, nada é impossível.

Na TV

Enquanto esse sonho não se concretiza, a melhor maneira de estar perto do Lewis original é acompanhar o especial que o canal pago Telecine Cult apresenta nesta quarta-feira (16), com a exibição de quatro filmes a partir das 18h.