O Instituto Inhotim abre nesa terça (22), início da Primavera no Brasil, uma expoisção virtual no Google Arts and Culture sobre  as aráceas, plantas muitos presentes no cotidiano das pessoas e resposnáveis por encantar milhares de visitantes no museu localizado em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

São mais de 3 mil espécies descritas na literatura botânica e anualmente outras tantas vão sendo reveladas. Entre os nomes mais conhecidos estão  antúrio, copo-de-leite, taioba, inhame e costela-de-adão.

Além de imagens e descrições das plantas, a exposição contará com áudios de profissionais do Inhotim e de convidados especialistas na área com curiosidades e usos das aráceas no nosso cotidiano. 

"Uma das missões de um jardim botânico é difundir conhecimento e aproximar as pessoas desse mundo que, costumeiramente, é científico e recheado de latim. Queremos simplificar e ressignificar as plantas para a população. Nesta nova exposição, são bônus as imagens irretocáveis de João Marcos Rosa, fotógrafo renomado com trabalhos publicados em revistas como a National Geographic", ressalta o curador botânico do Instituto, Juliano Borin.

As aráceas são a segunda família mais representativa do acervo botânico do Inhotim, com 470 espécies, tipos e variedades, atrás apenas da coleção de palmeiras (1019). Já a quantidade de exemplares é incontável. Trata-se de plantas excepcionalmente diversas e compreendem espécies arbustivas, trepadeiras, epífitas e até aquáticas.

São primordiais na composição de jardins tropicais e o paisagista do Inhotim, Pedro Nehring, aproveita bem a variedade de formatos, cores e texturas nos espaços do Jardim Botânico, combinando harmonicamente as nativas e exóticas.