PARIS - A semana de moda feminina primavera-verão 2014 começou na terça-feira (24) em Paris com as coleções dos estilistas mais jovens do prêt-à-porter.

Logo depois da temporada em Nova York, Londres e Milão, Paris - a mais internacional das semanas de moda, com 22 nacionalidades representadas nesse ano - começa a desvendar as tendências para o próximo ano.

Entre os jovens, se destacam como nos anos anteriores os belgas, especialmente Anthony Vaccarello, que gosta de look sexy e justinho.

Segundo a imprensa especializada, Donatella Versace poderia liderar a próxima coleção da Versus, segunda marca da Versace.

Outro desfile jovem esperado é a nova proposta de Cedric Charlier, formado no ateliê da Lanin e renovador da Cacharel antes de se lançar em carreira solo.

A nova geração de estilistas traz também Christine Phung, ganhadora do prêmio de Primeira coleção da Adam (Associação Nacional para o Desenvolvimento das Artes e da Moda), além de Julien David, criador cosmopolita que vive e trabalha entre Paris e Tóquio.

Christine Phung apresentou uma coleção de seda e jacquard - tecido versátil cuja técnica foi inventada no século XVIII para facilitar a fabricação de estampas - dominada por tons de cinza metalizado, bege e azul ultramarino.

As pregas de um dos vestidos foi feita à mão e demorou três semanas para ser completa. Phung nasceu na França de pai colombiano e mãe francesa, e seus modelos expressam essa dupla cultura. Em outro vestido da coleção, se inspirou "no aspecto de uma gota d'água que explode", disse à AFP.

O primeiro dia de desfiles encerra com um autodidata consagrado de 23 anos. Os desfiles de Simon Porte Jacquemus são muito concorridos: gram unanimidade na imprensa feminina da Vogue até a Glamour e vende seus looks em trinta butiques em Paris, Londres, Nova York e Tóquio.
    
O vento em Paris, que reúne modelos, maquiadores, cabelereiros, estilistas, jornalistas especializados e fotógrafos do mundo inteiro termina em 2 de outubro.

Alguns dos locais mais elegantes da capital francesa servem de sede para os desfiles em temperaturas leves graças a um sol radiante que ajuda a criar a ilusão de primavera-verão nos primeiros dia do outono.

O menino prodígio de Nova York, Alexander Wang, vai apresentar na quinta-feira seu segundo desfile com a Balenciaga, após uma primeira coleção de sucesso para a marca do estilista espanhol mais importante da história..

Também há expectativa pela coleção de Heidi Slimane, depois de sua polêmica estreia no ano passado na moda femininia da Saint Laurent.

Slimane chegou revolucionando a famosa maison, tirou o nome 'Yves' da e mudou seu ateliê para Los Angeles, mas sua coleção com toques desalinhados de "grunge" não convenceu na última temporada.

Da Espanha vem Amaya Arzuaga, conhecida no clube exclusivo da Semana de Moda de Paris, com uma passarela instalada especialmente no Instituto Cervantes.

Os grandes nomes têm lugar marcado, como Chanel, a cargo do venerado Karl Lagerfeld, Dior com os desenhos de Raf Simons e Marc Jacobs, que se apresentou em Nova York e reaparece em Paris com a Louis Vuitton.

Completam a agenda cosmopolita os japoneses Issey Miyake, Junya Watanabe e Yohji Yamamoto. Correndo junto, acontecerão desfiles "off" e showrooms privados onde estarão estilistas latino-americanos do Chile, Argentina, Colômbia e Brasil.

Paco Rabanne, a marca do estilista espanhol consagrado em Paris, vai estrear um novo diretor artístico, o francês Julien Dossena, em um desfile no museu Jeu de Paume, também fora do programa oficial.