O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, suspendeu nesta sexta-feira (19) a atração "Coroação a Nossa Senhora dos Travestis", que participaria da Virada Cultural de BH neste sábado (20),  após a Arquidiocese de Belo Horizonte se manifestar publicamente contra a realização do evento, classificando-a de desrespeito à fé cristã católica.

O gestor municipal comunicou o cancelamento em sua conta no Twitter. Em sua fala, Kalil afirmou que defende "todas as liberdades", mas informou que "ninguém vai agredir a religião de ninguém". 

Mais cedo, ainda nesta sexta-feira, a Arquidiocese de Belo Horizonte publicou uma carta em nome de dom Walmor Oliveira de Azevedo, arcebispo e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em que pedia a suspensão da atração cultural.

No texto, a igreja defende que a "Coroação a Nossa Senhora dos Travestis" é uma "ação preconceituosa e criminosa. A arquidiocese religiosa ainda convocou "todos os católicos a se manifestarem". 

"Coroação a Nossa Senhora dos Travestis"

A "Coroação a Nossa Senhora dos Travestis" é uma das mais de 400 atrações da Virada Cultural de BH. Dentre os nichos contemplados pelo evento, há espaço para variados gêneros artísticos, incluindo aqueles assumidamente mais voltados à comunidade LGBT. A mesma apresentação participou do FIT BH do ano passado (veja vídeo acima). 

De iniciativa da Academia TransLiterária, a "Coroação" estava programada para acontecer às 20h deste sábado (20), no Espaço Rio de Janeiro da Virada, na rua de mesmo nome, no Centro. De acordo com uma descrição do evento no Facebook, a atividade convidava os participantes a conhecerem a "travesti rainha" e a coroarem. 

Coroação

Por volta de 12h25 desta sexta, 75 pessoas haviam afirmado que iriam ao evento

A atração teria início na Igreja de São José, na Afonso Pena, seguida por caminhada pela avenida até o palco da Praça 7, no Espaço Rio de Janeiro. A atividade teria duração de 60 minutos e classificação indicativa livre. 

Leia parte da descrição do evento no Facebook:

"Durante a performance, integrantes do coletivo se apresentam de forma ritualística para SUA Senhora, a Nossa Senhora das Travestis, e convidam os passantes à participação – procissão. São distribuídos a cada pessoa interessadas santinhos com a Oração da Nossa Senhora das Travestis e, simultaneamente, ocorre apresentação de músicas autorais e/ou paródias".

Academia TransLiterária 

Ainda de acordo com textos publicados pelos organizadores da "coroação", a Academia TransLiterária é um grupo formado por artistas travestis, transsexuais e transgêneros, incluindo pessoas cisgêneras próximas à pauta, e tem como objetivo investigar estratégias, estéticas e linguagens artísticas, promovendo a difusão do protagonismo da cultura trans e periférica.

A reportagem procurou o coletivo para posicionar-se sobre o cancelamento da atração e aguarda retorno. A Fundação Municipal de Cultura foi procurada e, por meio da assessoria que atende o evento, confirmou o cancelamento da atração porque a organização percebeu que ela ofenderia uma parte da sociedade. Confira a nota na íntegra:

“A organização da Virada Cultural de Belo Horizonte informa a suspensão da performance da Academia Transliterária, uma das 447 atrações previstas na programação. Ao ser selecionada por meio de um chamamento público, em nenhum momento houve intenção de ferir a crença religiosa de qualquer pessoa ou grupo. Mas na medida em que uma parte da sociedade sentiu-se duramente ofendida, optou-se, então, pela suspensão da atividade.

A Virada Cultural de Belo Horizonte é um evento que preza pela pluralidade e que tem como objetivo a convivência pacífica e harmônica entre todos os cidadãos.”.

Leia o comunicado da Arquidiocese de Belo Horizonte na íntegra:

A Arquidiocese de Belo Horizonte, por seu Pastor Maior, dom Walmor Oliveira de Azevedo, arcebispo e presidente da CNBB, seus bispos auxiliares, padres, diáconos, religiosos e religiosas, ministros, evangelizadores e povo de Deus, das suas mais de 1500 comunidades de fé, publicamente rebate, com indignação, a ação preconceituosa e criminosa de desrespeito à fé cristã católica, o evento de título “Coroação a Nossa Senhora dos Travestis”.

Exigimos e esperamos que as autoridades competentes e os organizadores suspendam este evento, por ser incontestável fomento ao preconceito e à discriminação, desrespeito aos valores da fé cristã católica, devendo saber que estão comprometendo , gravemente, a paz e o exigido relacionamento cidadão respeitoso.

Os muitos títulos de Nossa Senhora, Mãe de Jesus, são uma riqueza da tradição cristã católica, que refletem a proximidade e a reverência do povo em relação à Maria Santíssima. Na raiz de cada devoção Mariana, residem bonitas tradições e histórias de graças alcançadas, que merecem reverência e respeito. Por tudo isso, causa perplexidade ver, em uma sociedade que carece tanto de fraternidade, atitudes de desrespeito à fé e a Nossa Senhora.

A devoção Mariana nasce e cresce no coração da Igreja. Atravessa gerações graças à fé e à simplicidade do povo. Não é admissível instrumentalizar Nossa Senhora, desrespeitando-a, para se promover um evento que se diz cultural, mas, na verdade, configura-se em agressão à fé cristã católica.  Não se cultiva tolerância a partir do desrespeito.

Convocamos todos os católicos a se manifestarem, exigindo respeito e a suspensão imediata desta criminosa ação, um desrespeito. Seja também acolhido o nosso pedido, protocolado junto a autoridades e instâncias competentes de defesa da verdade e da moralidade, das quais se espera o posicionamento legal e urgente, com a proibição desse ato abominável contra a fé cristã católica.

Católicos , paróquias, instituições católicas, associações, movimentos eclesiais e novas comunidades, todos nós,  manifestemos fortemente, neste momento, para que prevaleça o bom senso, a verdade e a justiça pela paz!

Veja galeria de fotos: