Um dos músicos mais ativos da cena pop belo-horizontina, Lenis Rino decidiu dar a “cara a tapa” em seu segundo disco, o recém-lançado “Mais um Grito”. Se em seu primeiro trabalho, “Cabeça de Pipa” (2010), ele explorava mais o seu lado produtor e contava com muitas participações, agora ele investe na própria voz e em uma banda fixa.
 
O álbum foi pré-produzido no estúdio caseiro de Lenis, em Nova Lima, mas a gravação foi feita em São Paulo, no estúdio de Bruno Buarque, que assina a co-produção. Convidou ainda Fernando Barba (do Barbatuques) para os teclados e Dustan Gallas (do Cidadão Instigado) para a guitarra. 
 
“‘Mais um Grito’ é um disco bem autoral, com a minha voz e a cara a tapa. Em ‘Cabeça de Pipa’, havia uma formação a cada música, tanto que gravei em dois anos. No novo disco, gravamos com as mesmas pessoas em seis dias”, afirma Lenis, que neste momento está em Toronto, no Canadá, realizando uma oficina de percussão e promovendo o novo disco.
 
Contar com menos músicos nas gravações foi fundamental para que o trabalho tivesse o perfil planejado pelo artista. “É um álbum cru, pouco editado, mais verdadeiro com o que foi captado. Quis bases simples em que eu pudesse dizer de forma clara e direta o que havia escrito”, explica. 
 
Baterista e percussionista, Lenis não assumiu toda a base rítmica das músicas – na verdade, ele toca bateria em uma única faixa. Esse instrumento ficou com Bruno Buarque, enquanto Lenis preferiu tocar o baixo. Denis Duarte (que toca com Benjamim Taubkin e outros grandes) toca percussão em vários momentos. A capa do disco traz a assinatura de Conrado Almada.