Depois de uma turnê pela Europa – com uma parada no clube Silencio, do cultuado diretor norte-americano David Lynch – e passagem pelo Rio de Janeiro, a cantora e compositora paulista Lia Paris desembarca em Belo Horizonte para lançar “MultiVerso”, seu novo álbum. 
“O disco vem para ser uma união de vários universos criativos”, diz a artista, que coproduziu o trabalho ao lado de outros sete produtores. 

Embora tenha na essência essa multiplicidade criativa e coletiva, “MultiVerso” traz composições autobiográficas, escritas por Lia durante os dois anos em que viajou pelo mundo com a turnê do trabalhador anterior – Lva Vermelha. “Apesar de ter um teor um pouco surrealista, que é um universo que eu gosto muito, as composições são sobre coisas que eu vivi”, conta.

A sonoridade também reflete as experiências da artista. “É um disco bastante eletrônico, mas que mistura ritmos brasileiros com um tempero e um sotaque do mundo”. 

Show
Para a apresentação na capital mineira, a cantora aposta em um formato intimista. “Vou falar sobre as histórias das músicas, curiosidades sobre a produção e sobre os produtores, que são de universos diferentes”, adianta Lia.

Dentre as curiosidades, ela destaca a parceria com o mineiro Samuel Rosa, vocalista do Skank. “Ele foi meu ‘padrinho’, lançando uma música nossa no disco ‘Velocia’”. Vou contar como foi isso no show. A história é boa”, garante. 

SERVIÇO
Lia Paris lança o disco “MultiVerso”, amanhã, às 22h no Baretto – Hotel Fasano (Rua São Paulo, 2320 – Lourdes). 
Ingressos a R$ 60