Primeiro livro de crônicas da poeta mineira Ana Elisa Ribeiro, “Chicletes, Lambidinha e Outras Crônicas” (Jovens Escribas) chega às livrarias com o ar jovial que sempre acompanhou a autora, hoje com 37 anos.

Desde 2003, Ana Elisa escreve para o gênero no site Digestivo Cultural. “No ano que vem fará dez anos que estou escrevendo para o site, daí, uma comemoração”. Esse é o quarto livro da autora, admitidamente influenciada pela chamada “poesia marginal” e que publicou pela primeira vez em 1997, seu “Poesinha”.

“Ficou com essa cara de menininha, mas o meu público no Digestivo é adulto, a partir dos 30 anos”. A labuta para a escolha dos textos primeiramente se baseou nos “mais lidos” ou “clicados”. Mas, na internet, nem sempre esse critério está associado à qualidade.

“O primeiro critério era pegar as mais lidas e chegamos à crônica ‘Ler Muito e as Posições do Kama Sutra’. A meu ver, não é das melhores. O pessoal joga em qualquer motor de busca e chega no texto, que não tem nada ver com as posições sexuais”, explica ela, às gargalhadas. A autora diz que tem crônicas que chegam a 5 mil leitores, que brotam de todo Brasil.

Viés de qualidade

Para a empreitada com o viés da qualidade, Ana Elisa convidou três escritores mineiros - Sérgio Fantini, Maria Luiza Tavares e Bruno Brum. Daí, as mais de 200 crônicas foram selecionadas com temas mais atemporais.

“Chicletes” - crônica que é um verdadeiro tratado sobre drops, gomas de mascar e afins-,“Lambidinhas”, “O Twitter e as Minhas Escolhas”, “Mapa da Sala de Aula” e “Minha Cartomante não Curte Facebook” são alguns dos títulos mais que antenados e, por que não, joviais da autora.

“Eu ando de mochila. Todo mundo me confunde achando que sou aluna. Quando chego em algum lugar pedindo alguma coisa mais burocrática, ninguém dá atenção pra mim”, se diverte a autora. Ana Elisa diz que escreve de um jeito como se estivesse conversando, por isso, a vibe descontraída. “Eu me sinto saindo do Segundo Grau (atual Ensino Médio)”, brinca a autora, que é professora de Estudos de Linguagem no curso de pós-graduação do Cefet-MG.

CrônicaS garimpadas

O site de onde foram garimpadas as crônicas é mantido por um grupo de São Paulo. O endereço recebe uma média de 600 mil acessos por mês. A coluna de Ana Elisa é quinzenal. Em agosto, a escritora deve lançar o livro em São Paulo e em Natal, onde fica a editora.

A poeta, agora também oficialmente cronista no mercado literário, prepara um segundo livro com crônicas, mas agora sobre leitores, leituras e livros. “Minha profissão é a formação de leitores. Vi que tinha um volume inteiro sobre isso. Deve sair no primeiro semestre de 2013”.

Entre os textos do próximo lançamento, está “A Herança e a Partilha”, sobre o processo de alfabetização do meu filho, Eduardo, 8 anos, que está on line no site.