“Coisa de cinema”. É assim que o radialista e poeta Kiko Ferreira define a edição do Diálogo a Três desta quinta-feira (25), que reúne o escritor Leo Cunha e o crítico de cinema Rafael Ciccarini em uma discussão sobre a relação entre literatura e o processo de criação, estética e linguagens contemporâneos. 
 
“Vamos falar das interseções entre as três artes, de seus diálogos e seus equívocos, das imagens que valem por mil palavras, das trilhas sonoras comandadas pelo silêncio e fúria e dos textos de cinema. Enfim, um diálogo a três entre textos, sons e imagens.”, adianta Ferreira, que fica responsável por mediar o encontro.
 
Já o escritor Leo Cunha exemplifica que essa relação entre a literatura, o cinema e a música podem ser visto nas adaptações cinematográficas baseadas em obras literárias.
 
“Mesmo que esteja aparentemente estático no papel, o texto literário contém em si a sonoridade e o ritmo, próprios da música. Por outro lado, a literatura também compartilha com o cinema uma série de características, como a narratividade, a construção de personagens, a escolha de pontos de vista, entre outros”, explica o escritor.
 
A conversa começa às 20h, na rua Aimorés, 388, no Funcionários, em Belo Horizonte. A entrada é franca, mas as vagas são limitadas. Mais informações pelo telefone (31) 2516-2973 ou pelo site.