Fãs de ontem, de hoje e de amanhã das séries Chaves e Chapolin, cujas falas muita gente já sabe de cor de tanto que são reprisadas na TV, agora poderão saber um pouco mais sobre o criador desses personagens no livro "Chaves - A História Oficial Ilustrada" (Universo dos Livros Editora).

O livro, que faz parte das comemorações dos 40 anos de Chaves, no México, pela emissora Televisa, foi traduzido para o português e deve começar a ser vendido neste mês.

O título original do livro é "Chespirito: Vida y magia del comediante más popular de América". Chespirito é o apelido derivado de "Shakespearito" (diminutivo de William Shakespeare), que o ator, roteirista e diretor Roberto Gómez Bolaños recebeu nos primeiros anos da carreira.

Bolaños interpretou tanto o menino órfão que vivia em um barril, quanto o super herói desajeitado que tinha um coração no peito como escudo. No Brasil, as séries chegaram em meados dos anos 1980 e não saíram mais do imaginário popular.

"O livro tem fotos raras, entrevistas com os demais personagens das séries e com o próprio Bolaños", aponta a editora responsável pela versão em português, Marcia Batista.

"Nunca pude imaginar que meus programas e minhas obras chegariam a ser conhecidos em todo o território de meu país... Menos ainda em todo o continente americano! E também na Europa, na Ásia e na África! Por que tudo isso aconteceu?", questiona Bolaños, na introdução do livro.

Talvez a resposta esteja no mesmo texto, quando o artista agradece aos demais personagens, que contribuíram para que ele jamais se distanciasse de seu propósito fundamental: "divertir sem causar danos às pessoas, sem distinção de idade, sexo, raça ou nacionalidade".

Esta simplicidade e humanidade com que reveste seus personagens, certamente, aproximou muitos telespectadores de sua obra. "Não é uma série de cultura mexicana, mas de cultura latina, por isso, os personagens têm muita identificação conosco. No Brasil, o Seu Madruga é unanimidade. Expressa o jeitinho brasileiro melhor do que qualquer outro personagem", justifica o vice-presidente do fã clube Chespirito Brasil, na categoria de "fãs de hoje", Thiago Pereira, 19 anos.

Fã-clube no Brasil tem mais de 5 mil pessoas

Aos 83 anos, Roberto Bolaños, enfrenta sérios problemas pulmonares e de locomoção. Uma das fotos atuais do artista no livro, o mostra com um tubo para respiração que usa continuadamente.

Há quase uma década, foi publicada, no México, a autobiografia de Roberto Bolaños, porém, este livro cujo título é “Sem Querer Querendo - Memórias”, não chegou ao Brasil.

Vice-presidente do fã clube de Bolaños no Brasil, Thiago Pereira diz que hoje o artista quase não dá entrevistas. Ele é casado com a atriz Florinda Meza, que fez a mãe ultra-protetora do personagem Kiko – a Dona Florinda.

No Brasil, o fã-clube conta com mais de 5 mil integrantes. Além do lançamento do livro, outra novidade é que o ator Édgar Vivar, o Seu Barriga, faz show no dia 5 de agosto, em São Paulo, no Carioca Clube.