Dois dias antes do início da Flip (Festa Literária Internacional de Paraty), o jornalista italiano Roberto Saviano cancelou sua participação na feira. A informação foi divulgada na tarde desta segunda (29) pela organização do evento.

Jurado de morte pela máfia italiana pelo livro "Gomorra", best-seller internacional no qual retrata com detalhes o mundo do crime, Saviano era o principal convidado da Flip deste ano. Ele iria se apresentar no sábado (4/7), às 19h30. Segundo a assessoria do festival, o governo italiano recomendou que Saviano não saísse da Europa. 

"Imaginava [que ele pudesse cancelar], pois o risco existe com qualquer autor. E Saviano publicou um texto no 'Guardian', em janeiro, no qual dizia que as decisões sobre sua vida eram tomadas sempre três dias antes pelo grupo que cuida da sua segurança", disse o curador da programação literária, Paulo Werneck, que ainda não tem um plano B para ocupar a mesa de sábado à noite, o horário mais nobre da Flip.

De 2006, quando escreveu o livro sobre a extensão do poder das organizações criminosas na Itália, até 2012, quando deu a última entrevista à Folha de S.Paulo, Roberto Saviano vivia em local indefinido sob esquema de segurança que incluía 14 policiais com dois carros blindados se alternando 24 horas por dia.

Nos últimos anos, a situação mudou um pouco. Em 2013, o autor fez turnê de lançamento do livro "ZeroZeroZero" na Itália. No último mês de março, a polícia italiana prendeu alguns dos principais membros do clã da máfia que planejava assassinar o jornalista. Em abril deste ano, ele esteve em um evento literário na França.

Nesta terça (30), ele participará do Bristol Festival of Ideas, na Inglaterra.