“Sob a ponte havia um rio, / Um rio chamado Chico, / E só de pensar eu fico / Com a alma por um fio. / Sua vida se apagou / Como se fosse um pavio”. Com essa estrofe o escritor, compositor e jornalista mineiro Jorge Fernando dos Santos dá início ao livro “Cordel do Rio Chico”. A obra infantojuvenil, escrita em formato de cordel, é um convite para navegar na história do Rio São Francisco. 

De forma delicada e sensível, o autor mostra para o público as condições em que o Velho Chico se encontra. A ideia é levar os leitores a reflexão. Perspicaz nas rimas, ele dá um bom ritmo a narrativa, que vai desde o descobrimento dessas águas, atribuído ao navegador italiano Américo Vespúcio, em 1501, até sua transposição. 

Aspectos históricos, geográficos, folclóricos e ecológicos também são abordados no livro, que apresenta personagens típicos da região e destaca a fauna e a flora do local. 

A seca assombra a população ribeirinha durante todo o cordel. Uma forma de o autor manifestar preocupação com o futuro do rio e estimular a reflexão do leitor. A obra pode ser ainda um auxílio para pais e professores conversarem com os pequenos sobre consciência ambiental, respeito a natureza e as tradições de um povo.

Ilustração
Com 32 páginas e 33 estrofes em redondilha maior, que mais parecem um canto, o livro pode ser figurinha fácil em rodas de contação de histórias. 

As rimas casam bem com a ilustração feita por Luciano Tasso. O artista traz cores fortes em tons terrosos e brinca com as figuras, como o braço do violão que se transforma em terra para o agricultor.

O todo da obra leva o leitor a soltar a imaginação e parece arrebatar não só o público ao qual se destina, mas jovens e adultos também.

Admirador da cultura nordestina, o autor já publicou “Cordel da Bola que Rola – A História e as Lendas do Futebol” e “Ave Viola – Cordel da Viola Caipira”, ganhador do Prêmio Rozini de Excelência na Viola Caipira, em 2013. A estreia de Jorge Fernando dos Santos no gênero se deu com o livro “Cordel Das Lendas Bovinas”.