Quase 900 pessoas compareceram no domingo à noite a um emotivo show de homenagem ao britânico David Bowie em Londres, durante o qual os maiores sucessos do artista foram apresentados em diversas versões, uma semana  depois de sua morte.

"O mundo teria sido muito diferente sem David Bowie", declarou um dos organizadores, Stefan Simanowitz. "Este show é para todos aqueles que ficaram comovidos com sua música", completo.

O espetáculo, organizado na Union Chapel, uma igreja de estilo neogótico que recebe com frequência eventos culturais, começou com uma versão karaokê de "Starman" (1972), cantada com empolgação pelo público. "É um momento especial para mim, para todos nós aqui. Acredito que, de alguma maneira, temos um vínculo com Bowie", disse Scotty Watson, de 27 anos.

A música de David Bowie "é a trilha sonora de nossas vidas", afirmou Louise Gilmour, de 27 anos, com o rosto maquiado como Ziggy Stardust, personagem marcante criado pelo artista. "Sinto realmente como se tivesse perdido alguém da minha família com sua morte", completou.

O espetáculo, transmitido ao vivo pelo Youtube, teve projeções de videoclipes e entrevistas do cantor. O grupo The Feathers apresentou uma versão de "Ziggy Stardust", cantada por Maggie Ronson. "Todos nós, no mundo inteiro, nos vimos influenciados, de uma maneira ou outra, por David", afirmou a cantora, irmã do ex-guitarrista de Bowie, Mick Ronson.

O baixista Guy Pratt (Elton John, Pink Floyd, Madonna...) tocou "Life on Mars" (1971), em uma versão bastante fiel à original. David Bowie faleceu em 10 de janeiro, dois dias depois do lançamento de 25º álbum de estúdio, "Blackstar", na data em que completou 69 anos. A morte provocou uma grande comoção entre os fãs e as homenagens se multiplicaram na última semana.