O mês de junho é dedicado à luta por direitos da comunidade LGBTQIA+ e contra a homofobia. A escolha desse mês para essas celebrações não é aleatória: ele faz referência à revolta de Stonewall, ocorrida em Nova York, no dia 28 de junho de 1969, quando um grupo resolveu enfrentar a frequente violência policial sofrida pelos homossexuais.

Desde então, junho se tornou o mês do orgulho LGBTQIA+. No Brasil, a Parada em São Paulo é uma das maiores do mundo e esse ano celebrou os 50 anos da revolta de Stonewall.

Para entender algumas causas e toda sua pluralidade, o YouTube elaborou uma lista de canais que abordam temas como sexualidade, acessibilidade, com vídeos explicados em Libras, o ser gay e o mundo cristão, saúde mental e questões raciais e LGBT.

No canal "Guardei no Armário", comandado por um homem negro e gay, aborda questões como sexualidade e processo de aceitação.

Assista ao vídeo:


Em 'Muro Pequeno', Murilo Araújo fala de seus sonhos e desafios de ser gay e cristão. "Sempre que falo sobre ser gay e católico, sempre tem uma galera que chega nos comentários e cita um trecho bíblico. Eu conheço esse texto", afirma.

Assista ao vídeo:


No YouTube, Léo Viturino é gay, surdo e consegue abordar, em Libras, todas as principais questões LBGTs dessa comunidade.

Assista ao vídeo:


Spartakus Santiago publica periodicamente vídeos no canal dele no YouTube sobre racismo, diferenças raciais e LGBTfobia.

Assista ao vídeo:


Também sobre questões raciais e LGBT, Luci Gonçalves fala sobre comportamento e estilo de vida.

Assista ao vídeo:

 

 


No canal Louie Ponto, a youtuber fala sobre o ser lésbica e feminista. Em um dos vídeos, por exemplo, ela fala sobre os estereótipos enfrentados pela comunidade LGBT.

Assista ao vídeo:

Alexandra Gurgel comanda o canal 'Alesxandrismos' no YouTube e aborda temas como body positive, saúde mental e diversidade.

Assista ao vídeo:

Leia mais:
'Luta que não tem fim por dignidade básica', diz Fernanda Lima na Parada LGBT
Semáforos para pedestres da Paulista mostram bonecos homoafetivos
Evento em São Paulo celebra diversidade e cultura da comunidade LGBT