Monetizar a produção criativa é, no mínimo, uma meta para a maioria dos músicos e artistas independentes. Na cena belo-horizontina, “El Toro Fuerte” se destaca nesse sentido como uma “banda-amiga”, que conta com o amplo apoio de um público coeso e engajado para tornar o sonho realidade.

“A El Toro sempre foi um trabalho para a gente. Queremos viver disso e sabemos que é importante profissionalizar para mostrar aos contratantes que conseguimos entregar um verdadeiro espetáculo, consistente, bem tocado”, defende a produtora, Raquel Domingues.

O grupo, composto por João Carvalho (baixo/guitarra/voz), Diego Soares (guitarra/baixo/voz), Gabriel Martins (bateria) e Fábio de Carvalho (guitarra/voz), prepara-se para o lançamento do segundo EP: “Nossos Amigos e os Lugares que Visitamos”, que deve tratar de amizades e viagens empreendidas desde a formação inicial, em 2015.

Parcerias
O novo disco promete uma reflexão sobre o estado dos relacionamentos afetivos em tempos digitais. Sem apontar defeitos, mas oferecendo um tratamento “delicado” às mudanças e aos acordos que deveriam ser básicos a qualquer interação humana: respeito mútuo e preservação da dignidade da pessoa com quem se dialoga. O primeiro single do disco “Fim do Inverno” foi lançado na última semana. O clipe tem como referência principal o movimento Mumblecore, subgênero do cinema marcado por atuações improvisadas e diálogos beirando a naturalidade. A composição musical e a direção do clipe são de Fábio de Carvalho.

Apesar de alguma crítica aos excessos (ou faltas) das relações na era virtual, Diego aponta a presença forte da banda nas redes sociais como responsável, em parte, pelo engajamento dos fãs que eles conquistaram. 

“Uma estratégia que sempre usamos e que dá certo é compartilhar nossos passos vitoriosos como uma conquista de todo mundo que nos apoia”, relata o músico. “Funciona bem, porque é verdade”, completa.

Além disso, Diego afirma que “ter duas mulheres na banda – produzindo, cuidando da logística e da venda de merchandising – ajuda a promover um ambiente mais seguro e igualitário para quem nos acompanha”. Três participações femininas no disco, ainda não divulgadas, acompanham o conceito de dar voz e mostrar a cara daqueles a quem a banda é grata. 

Gratidão, aliás, também dá o tom de uma canção, inédita até então, assinada por Diego, em homenagem ao bairro onde ele cresceu na capital mineira.

Ao lançar o segundo EP, o grupo está mais atento também a questões legais. “Nos filiamos à Abramus (Associação Brasileira de Música e Artes), pela qual registramos nosso trabalho. Só depois desta filiação que lançaremos o disco em todas as plataformas, o que quer dizer que a associação fará a arrecadação dos direitos autorais das nossas músicas sempre que elas forem executadas”, conta Raquel. “É um passo importante para recebermos o retorno pelo nosso trabalho e ganharmos visibilidade”, finaliza.

Lojinha El Toro Fuerte

Roupas, ecobags, bottons e discos são comercializados pela El Toro Fuerte

Grupo faz investimento muito além do palco

Para Diego, um dos principais fatores para o envolvimento do público é a “mensagem” que a banda tenta passar, “sempre positiva e sincera”. Ele diz que, apesar de este não ser o clima político do momento, “a positividade é sempre bem-vinda”.

Já Raquel percebe a lojinha – com camisetas 100% algodão, moletons, ecobags e bottons – como “fundamental para a manutenção da banda”. “É com esse capital que pagamos despesas de viagem – gasolina, pedágio, hospedagem – e outras que venham a surgir”, ressalta a produtora.

Na elaboração dos produtos comercializados, a ajuda dos fãs também é de grande valia. Raquel conta que uma das camisetas lançadas recentemente leva um desenho recebido como presente carinhoso de um dos seguidores.