As várias facetas de Maria Alcina estão presentes no show “De Normal (Bastam os Outros)”, apresentado nesta sexta-feira (26), no Teatro Bradesco. O repertório conta com as músicas do mais recente álbum da cantora (homônimo) e seus maiores sucessos – “Kid Cavaquinho”, “Fio Maravilha” e muitas outras. 

Produzido por Thiago Marques Luiz (o mesmo que tem feito ótimos discos com cantores que fizeram muito sucesso no passado, como Cauby Peixoto e Ângela Maria), “De Normal (Bastam os Outros)” (La Music) é um disco com composições feitas sob medida para Alcina por autores de diferentes gerações – como Arnaldo Antunes (a faixa-título), Péricles Cavalcanti, Karina Buhr e Zeca Baleiro (compositor de “Eu Sou Alcina”, que abre o álbum).

Ela regravou ainda uma música de Jorge Ben Jor feita sob medida (“Sem Vergonha”, que ela havia gravado em 1992). A direção musical do show e do disco é de Rovilson Pascoal.

“A nossa intenção era mostrar, em um mesmo disco, todos os lados de Alcina. O lado do duplo sentido, o da exuberância, um lado um pouco tímido, o carnavalesco”, afirma a cantora. “É um privilégio cantar essas músicas. Quando o compositor prepara uma música, ele já pensa na melhor materialização para ela”.

Alcina diz que há uma grande identificação entre ela e os autores mais jovens desse trabalho. “Mesmo não tendo a mesma idade, a gente se parece em pensamento, em atitudes. Isso fica bem claro no disco”.

Musical

Para viajar com o show, Maria Alcina teve de abrir mão de outro projeto interessante em que estava envolvida. Ela integrava o elenco do espetáculo “Eu Vou Tirar Você Desse Lugar – As Canções de Odair José”, dando vida à Madame China, uma personagem criada especificamente para ela pelo diretor Sergio Maggio.

O espetáculo teve uma temporada em Brasília e passou por algumas capitais – inclusive no Sesc Palladium, em julho. “Fiquei em Brasília de abril a junho, trabalhando nesse projeto. Ao mesmo tempo, o meu disco começou a acontecer. Então, tive que parar de fazer o musical para trabalhar a divulgação do disco. Mais para frente, poderei voltar a participar do musical”, afirma a cantora, mineira de Cataguases.