As coleções de prêt-à-porter para o próximo outono-inverno apresentadas nos desfiles de Milão exibiram tendências para uma mulher ativa e de temperamento forte. 
 
A Fendi, com Karl Lagerfeld no comando, apostou nos volumes para dar movimento aos looks, criando uma ondulação eterna. As ondas estiveram presentes nos sapatos, bolsos, cintos e até nos casacos - que dominaram o desfile -, além de vestidos de seda com  listras em forma de "curvas". As pernas das modelos foram protegidas do frio por polainas de couro de todas as cores, e que se parecem com botas de cano alto.
 
Já a Costume National propôs uma figura em movimento mediante um trabalho de sobreposições e looks amplos, muitas vezes conseguidos com detalhes de tecido que alargam camisas e vestidos.
 
Para os 30 anos de sua marca, o estilista e fundador Ennio Capasa se atreveu a usar um pouco de cor. A paleta é bem escura, mas iluminada com toques de verde-esmeralda, vermelho carmim e azul. 
 
Destaque para uma combinação de camisa e calça em seda com uma mistura de estampados e imagens aplicadas em uma verdadeira colagem de fotos.  "É uma série de fotografias de flores que fiz há algum tempo. Para esta coleção, trabalhei com as texturas. As formas se simplificam, enquanto os materiais e os tecidos são fundamentais", diz o estilista.
   
Emilio Pucci
    
Na direção da Emilio Pucci há duas temporadas, Massimo Giorgetti continuou a trazer uma onda de frescor à marca toscana do grupo LVMH, jogando com grafismos e toques esportivos - em particular, tudo o que tem a ver com montanhas. 
 
As modelos usaram botas coloridas, ou sapatos planos com cordões, que são, na realidade, cordas de alpinismo.  Dominaram a passarela os suéteres XL com zíperes e malhas ajustadas, com tiras esportivas verticais. As montanhas com neve apareceram desenhadas nas camisas, anoraks e em outros casacos de inverno.
   
Max Mara
 
A mesma energia "punchy" apareceu no desfile da Max Mara, onde o diretor criativo Ian Griffiths mergulhou seus modelos no efervescente período modernista dos anos 1920 em Berlim. Com meias arrastão e luvas de couro preto, as modelos usavam shorts muito curtos dourados, ou em cores claras, como rosa e nude, além de vestidos longos cruzados nas costas. 
 
Vestidos extralongos cobriram as pernas desnudas.   As estampas geométricas estiveram por toda parte, assim como os bolsos gigantes coloridos aplicados em calças amplas, vestidos e suéteres. O encerramento da semana deu visibilidade a Diesel Black Gold, Emporio Armani, Etro, Iceberg, Marco De Vincenzo e Versace.