Amigas de longa data, as atrizes Raquel Lauar e Raquel Dutra se uniram para levar aos palcos um drama argentino. Ambientada no interior de Buenos Aires, a montagem “Sombras – Toda vaca tem nome próprio” marca a reestreia da Cia Dupla de Teatro. A temporada segue até 8 de março, dentro do projeto “Troca”, pela Campanha de Popularização.
 
Escrita pelo diretor e dramaturgo argentino Hector Oliboni, a peça aborda o universo dos desencontros familiares e a dualidade de sentimentos vivida por pessoas próximas – nesse caso, duas irmãs.
 
Marcela e Alícia dividem uma propriedade, a última herança de família, e divergem sobre o que fazer com o imóvel.
 
“Grande parte do público se identifica, porque no ambiente familiar tem amor, mas nem sempre tudo é legal, pois as pessoas são diferentes”, comenta a intérprete de Macela, Raquel Lauar.
 
Como se não bastasse esse conflito, as irmãs ainda convivem com a presença de Augusto, vivido por Rodrigo Mangah, ex-marido ambicioso de Alícia, bem no estilo Nelson Rodrigues.
 
“A questão da herança é apenas um gancho para o desenrolar da forte relação psicológica entre os três personagens”, diz Lauar.
 
Para conduzir a direção artística do espetáculo, as moças convidaram Marcelo do Vale (“Vulgaridades sublimes” e “Dois perdidos numa noite suja”), que se manteve fiel ao texto original.
 
“Decidimos não ambientar a trama no Brasil, mas fugimos dos estereótipos. Tudo no espetáculo transmite o clima interiorano da Argentina, do figurino à iluminação”, diz o diretor.
 
“Sombras – Toda vaca tem nome próprio”. Funarte MG (rua Januária, 68, Floresta).
 
De 5/2 a 8/3. De quinta a sábado, às 20h, e domingo, às 19h. R$ 10 (postos Sinparc).