Morre aos 56 anos o músico carioca Arthur Maia, um dos maiores baixistas do Brasil

Da Redação
15/12/2018 às 18:31.
Atualizado em 05/09/2021 às 15:35
 (Divulgação )

(Divulgação )

Morreu neste sábado (15), aos 56 anos, o músico Arthur Maia, considerado um dos maiores baixistas da música brasileira. O carioca sofreu uma parada cardíaca durante a tarde, em Niterói. Ele chegou a ser levado para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas não resistiu.

Em seu vasto currículo, Maia guardava apresentações e gravações com nomes como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Jorge Benjor, Djavan, Gal Costa, Ney Matogrosso, Luiz Melodia e Ivan Lins. Sobrinho do baixista Luizão Maia, da banda de Elis Regina, também foi integrante das bandas Black Rio e Egotrip, e do quarteto instrumental Cama de Gato, junto a Mauro Senise, Pascoal Meirelles, Romero Lubambo e Nilson Matta.

A estreia da carreira solo do músico aconteceu em 1990, com o disco "Maia", agraciado pelo Prêmio Sharp de Música na categoria Revelação Instrumental. O baixista, que também foi arranjador e produtor musical, deixou outros dois discos, "Arthur Maia" (1996) e "Planeta música" (2000).Tido como uma das grandes referências do baixo elétrico no Brasil, Maia ainda atuou como secretário de cultura de Niterói, de 2013 a 2016.
 
Nas redes sociais, diversos artistas lamentaram a morte do músico, entre eles Beto Guedes, Paula Toller e Marcelo D2. "Lamentamos muito a partida precoce de um dos maiores baixistas da atualidade, Arthur Maia. Seu talento e bom humor farão muita falta a todos nós", afirmou Gilberto Gil no Twitter, postando um vídeo do baixista solando em seu show, durante a música "Palco".

Leia mais:

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por