Morreu em Belo Horizonte, aos 88 anos, na madrugada deste domingo (27), o psiquiatra e escritor Ronaldo Simões Coelho. Uma das maiores referências nacionais na área da literatura infantil, ele sofreu uma parada cardiorrespiratória, em função de uma infecção pulmonar. O velório foi restrito aos familiares.

Natural de São João Del Rei, Ronaldo foi autor de mais de 60 obras, sendo algumas traduzidas para as línguas espanhola e alemã. Entre seus títulos mais vendidos estão “Macaquinho”, “Dormir fora de casa” e “O pato poliglota”.

Além de destaque na literatura, também foi nome fundamental no exercício da psiquiatria em Minas Gerais. Foi um grande crítico da violência presente em manicômios de Belo Horizonte e de cidades do interior, especialmente Barbacena, e defensor da humanização na assistência aos pacientes. 

Na década de 1970, foi supervisor de psiquiatria no Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social (Inamps) e recebeu o filósofo francês Michel Foucault, autor de “A história da loucura”, em Belo Horizonte. Esse encontro está relatado no livro premiado da jornalista Daniela Arbex, "Holocausto brasileiro". 

Relembre uma entrevista concedida pelo escritor ao Hoje em Dia em 2017.