Sergio Poroger ainda tem bem guardada na memória a imagem de cinemas de rua que mantinham, na São Paulo da década de 1960, um ar de sofisticação, de grandes templos dedicados à sétima arte. “Eu ia muito com o meu pai e ficava impressionado com o pessoal que trabalhava nas salas. Sem elas, nada daquilo existiria”, registra o jornalista e fotógrafo.

As lembranças inspiraram Poroger a viajar pela costa leste dos Estados Unidos e fotografar antigos cinemas, “como uma forma de homenagear àquelas pessoas que fazem uma sala funcionar”. O resultado pode ser visto na exposição “Cine Mu(n)do”, uma das atrações do Festival Cold Hot, que acontecerá neste sábado (6) e domingo (7), na praça de eventos da Orquestra Filarmônica, no Barro Preto. São dez imagens que, além da experiência americana, acompanham as andanças dele por Holanda, Fortaleza e o interior de São Paulo.

São salas icônicas, que têm muita história a ser contada. No exterior, há uma outra consciência e todas estão preservadas, mantendo-se a arquitetura original. É como fazer uma viagem nostálgica”, afirma Poroger, que reuniu a série de fotos, pela primeira vez, para uma exposição de quatro meses na estação da Luz do metrô de São Paulo –sob a curadoria do renomado fotógrafo Bob Wolfenson.

Em breve, o material estará nas paredes de um museu paulistano (Poroger prefere não revelar ainda o local), o que não impede o fotógrafo de continuar buscando novas salas para clicar. Em sua passagem por Belo Horizonte, ele já tem um roteiro definido, a começar pelo MIS Santa Tereza, na região Leste. Depois, o próximo destino será Buenos Aires, capital da Argentina. A expectativa é de que as fotos ganhem uma versão em livro.

Será a oportunidade para o jornalista enveredar por histórias curiosas, como a de uma sala em Amsterdã (Holanda), inaugurada em 1912, onde uma funcionária é responsável pela gerência, pela bilheteria e pela bomboniére ao mesmo tempo. “Ela ainda me ajudou a ter a autorização da plateia para fazer uma foto antes de a sessão começar. Essas pessoas anônimas são tão protagonistas como os atores do filme”, assinala.

Exposição “Cine Mu(n)do” – Sábado, das 12h às 22h, e domingo, das 12h às 20h. Na praça de eventos da Filarmônica (Rua Tenente Brito Melo,1090). Entrada gratuita – os ingressos devem ser retirados na plataforma GoFree.