Mulheres falam sobre a rotina diferenciada de quem namora músicos

Cinthya Oliveira - Hoje em Dia
13/02/2016 às 09:20.
Atualizado em 16/11/2021 às 01:24
 (Ricardo Bastos)

(Ricardo Bastos)

Quantos meninos começaram a aprender um instrumento e tocar em banda sonhando em ganhar a atenção das meninas? O fascínio que os músicos provocam no público é algo conhecido por todos, mas não é fácil encarar um relacionamento com quem ganha o sustento em cima do palco. Rotina atribulada, fãs ocasionais e o contato com a boemia são fatores na vida de profissionais da música, e quem se apaixona por eles tem que aprender a lidar com isso.
 
Caso da fisioterapeuta Nayara Lages, namorada há três anos do guitarrista Pedro Cassini. Ele é um dos músicos que mais tocam na capital, com uma agenda movimentada por shows de bandas como Ca$h e Gabi Mello, além de apresentações na Igreja da Lagoinha. Para se ter uma ideia, ele fez, no ano passado, mais de 230 shows com 17 artistas.
 
Feitiço de Áquila
 
Durante a semana, a vida deles é mais ou menos como no filme oitentista “O Feitiço de Áquila”. Nayara acorda cedo para trabalhar ao longo do dia em um estúdio de pilates, enquanto Pedro dedica noites e madrugadas aos shows – muitas vezes, mais de um em uma mesma data.
 
Nos finais de semana, ela o acompanha no trabalho e já chegou a viajar para uma cidadezinha pequena para passar o Réveillon com o amado enquanto ele se apresentava.
 
“Eu o conheci em um pub de rock, mas naquele dia nem o vi tocando. Quando ele chegou perto de mim e falou que era músico, eu corri dele. Fui cedendo aos poucos”, diz Nayara, que ficou receosa de namorar alguém que vivesse o universo da boemia.
 
Ela aprendeu a lidar com isso e, depois de três anos, encara com naturalidade, ao ponto de não sentir ciúme das várias mulheres que rodeiam os músicos nos eventos. “Ele me passa uma segurança muito grande. Se adequou ao meu jeito e eu ao dele. Não tenho ciúme porque ele não dá brecha para acontecerem coisas que me incomodam”, conta Nayara.
 
Músico fica a maior parte do ano viajando com Victor & Leo

A produtora de moda Gabriela Queiroz tem que aproveitar o máximo possível quando o marido, Thiago Corrêa, está na cidade. Como ele é baixista da dupla Victor & Leo, tem de viajar muito, e pelo Brasil inteiro. “Ele fica dois ou três dias em casa e depois dez dias fora. Eu faço praticamente tudo em casa”, conta Gabriela, que preferiu colocar o filho de 1 ano e 10 meses numa escola integral para dar conta de trabalhar e estudar.

Mas quando Thiago está na cidade, faz questão de cuidar do filhote. “Aí ele faz almoço, dá banho, leva para a escola. E depois segue para o estúdio para trabalhar enquanto o Antônio está na escola”, conta ela, que já passou perrengue com a distância. “Quando o Antônio ficou internado, eu ligava, mas não conseguia falar com o Thiago, que estava no meio da Amazônia a trabalho”.
 
Ciúme?
 
E é possível ficar tranquila em relação ao assédio das mulheres Brasil afora? “Hoje o ciúme nem faz cosquinha. Como no meu círculo de amizades há muitos músicos e artistas, entendo bem como é a rotina dele”, diz Gabriela. “No início, eu ficava perguntando ‘quem é essa a mulher que está te mandando mensagem’. Hoje já compreendo que não é preciso estressar com o assédio”.
 
Muitas mulheres chegam até a mandar convites para Gabriela no Facebook, mas ela prefere não adicionar pessoas desconhecidas e manter a privacidade da família.
 
Mulheres chegaram a criar uma banda com os namorados
 
O segredo para se relacionar com um músico é se tornar parceira de alguma forma. Algo que a professora universitária Camila Cardoso levou a sério no início do relacionamento com Claudão Pilha, que é músico e dono d’A Obra Bar Dançante.
 
Ela e outras namoradas dos integrantes da banda Estrume’n’tal chegaram a criar um novo grupo, o Juremas, em que elas dividiam o palco com os amados para músicas autorais e covers de punk rock.

“A banda começou como uma brincadeira, com duas namoradas dando a ideia de cantar enquanto eles tocavam. Todos gostaram e a banda durou dois anos, mas acabou assim que terminou o relacionamento de um dos casais”, lembra Camila, que conheceu o marido n’A Obra, que se tornou a segunda casa da família.
 
Complicou
 
Nos primeiros anos era tranquilo acompanhar Claudão porque ela também trabalha à noite. Chegou a acompanhá-lo em viagens para Goiânia, Florianópolis, Curitiba, São Paulo e várias outras cidades. Mas hoje é bem mais complicado, pois a filha do casal está com 4 anos.
 
“Nosso momento de convivência familiar é pela manhã, quando estamos todos reunidos em casa. À noite, nós dois trabalhamos enquanto nossa filha está dormindo”, diz Camila, que aguarda o momento em que a pequena poderá acompanhá-los melhor. “Ela já se diverte com o mundo da música”.
 
ALÉM DISSO...
 
O saxofonista Sérgio Danilo é muito atencioso com a esposa, a cabeleireira Alexandra Andréa, mas quase perdeu o nascimento de seu filho por causa de uma viagem a trabalho. Ele era um dos integrantes da banda do violonista Thiago Delegado que foi para a World Music Expo (Womex), em Tessalônica, na Grécia, em 2012. A viagem aconteceu quando Alexandra estava com quase 38 semanas de gestação. “Tive receio de que ele nascesse antes. Eu havia acabado de perder o meu pai, foi muito turbulento. Enfrentei a distância, me senti sozinha. Mas, graças a Deus, ele chegou a tempo de ver o Danilo nascer”, lembra Alexandra.
 


Thiago Corrêa aproveita as férias da equipe de Victor & Leo para brincar com o filho Antônio

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por