Sábado (30) é dia dos quadrinhos brasileiros! Na Biblioteca Pública Infantil e Juvenil de Belo Horizonte, haverá feira de quadrinhos, oficinas e painéis com participação de autores consagrados – no papel e no meio on-line - como Vitor Caffagi e Fabiana Signorini e Bianca Reis. A data é celebrada em todo país e homenageia os autores brasileiros de quadrinhos desde 1985.

Para aproximar quadrinistas e leitores, os painéis buscarão ser um espaço de debate de temas relacionados ao universo dos quadrinhos nacionais, levando autores e especialistas a expor suas vivências e interagir com o público trocando experiências.

Para participar das oficinas, o interessado deverá comparecer na Biblioteca, às 8h, e fazer a inscrição no local, para garantir a vaga. Todo evento é gratuito.

No local também será realizada a Feira de Quadrinhos, onde os quadrinistas da capital irão expor seus trabalhos. Também haverá um espaço reservado para troca de revistas entre os leitores.

Por que dia 30 de janeiro?

Em todo o Brasil já é comemorado o Dia do Quadrinho Nacional. Uma data às vezes confundida como se comemorasse toda a produção de quadrinhos no mundo. Então para explicar melhor é preciso dizer que essa data foi escolhida quando a Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas de São Paulo, em 1984, levantou em pesquisas na Biblioteca Nacional (RJ), que o Brasil era pioneiro na publicação dessa linguagem.

Foi descoberto então Ângelo Agostini, um italiano radicado no Brasil, que começou a publicar em 1867 seus desenhos e charges no "Cabrião", jornal de São Paulo.

Em 1869, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde fazia uma série no semanário "Jornal Vida Fluminense", publicando em 30 de janeiro do mesmo ano a primeira novela gráfica do mundo “As Aventuras de Nhô-Quim - Uma Viagem à Corte". Era uma página dupla a cada semana em uma novela com a história de Nhô-Quim viajando de Minas Gerais para a corte do Rio de Janeiro.

Despois da descoberta, a Associação levou toda a documentação adquirida nas pesquisas aos órgãos responsáveis para conseguir que esse dia, 30 de janeiro, entrasse no calendário oficial do Brasil como sendo o Dia do Quadrinho Nacional. Isso aconteceu um ano depois, em 1985.

O Troféu HQMIX, “Oscar” dos quadrinhos brasileiros, criado por Gualberto Costa e JAL, diretores da associação na época, faz um levantamento anual de lançamentos de quadrinhos no Brasil e em 2015 foram mais de 1.700 nacionais.

Entre os artistas já homenageados pelo prêmio estão quadrinistas e cartunistas como Mauricio de Sousa, Laerte e também o mineiro Vitor Cafaggi, que participa do evento deste sábado na Biblioteca Pública Infantil e Juvenil de BH.

 

SERVIÇO

Dia do Quadrinho Nacional, neste sábado (30), das 9h às 17h, na Biblioteca Pública Infantil e Juvenil de Belo Horizonte (rua Carangola, 288, Santo Antônio). Informações: (31) 3277-8658

PROGRAMAÇÃO

9h – Abertura do evento

Oficinas

9h – Quadrinhos Para Crianças – (Virgínia Froes). Público infantil (5 a 12 anos)
11h – Qualquer Um Pode Fazer Quadrinhos – (Ryot e Gomba)

Painéis

12h – Produção Independente de Mangá: Osmar (Necro), Daniel Bretas (StarMind), Carina Cardoso (Estúdo Numem), Valdo Alves (riscos e rabiscos). Mediação: Hilton P. Rocha.
13h – Publicando pela primeira vez: Katia Schittine, Carolina Macedo e Davi Maciel (Cabeça de Elisa) e Fabiana Signorini (Senhoritas de Patins).
15h – Diversas Formas de Publicar Quadrinhos: Rodney Buchemy, Bianca Reis (Anna Bolena), Vitor Caffagi e Evandro Alves. Mediação: Ricardo Tokumoto.
16h – Produzindo Quadrinhos para o Exterior: Eddy Barrows, Eduardo Pansica, Ig Guara e Adriano Augusto.