O filme Nomadland - Sobreviver na América ganhou o Oscar de melhor filme, melhor realização e melhor atriz para Frances McDormand. A cineasta Chloé Zhao torna-se assim a segunda mulher na história a receber o prêmio de melhor diretora. A 93ª cerimônia dos prêmios da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas ocorreu, na noite deste domingo (25), na Estação Union Station, em Los Angeles, e no Dolby Theatre, em Hollywood, com restrições devido à pandemia de covid-19.

Nomadland - Sobreviver na América era o maior favorito e cumpriu os prognósticos, vencendo nas principais categorias do Oscar, entre elas a de melhor direção, com a estatueta entregue à cineasta sino-americana Chloé Zhao. Ela é a segunda mulher a conquistar esse Oscar, depois de Kathryn Bigelow, em 2010, com Estado de Guerra. 

 "Sou extremamente afortunada por poder fazer o que gosto", acrescentou a cineasta nos bastidores da cerimônia de entrega do Oscar, na madrugada de hoje (26). "Se esta vitória ajudar mais pessoas como eu a viverem os seus sonhos, sou muito agradecida por isso".

Nomadland - Sobreviver na América, considerado o melhor filme, conta a história de uma mulher - Fern, interpretada por Frances McDormand - que viaja pela América como nômade. Vive numa caravana, trabalha em empregos temporários e sobrevive na estrada, na sequência da crise econômica de 2008.

Ao receber o prêmio, Chloé Zhao dedicou-o "a todos aqueles que tiveram a fé e a coragem de se agarrar à bondade em si próprios e nos outros".

Embora o filme seja uma ficção, inclui testemunhos reais de norte-americanos que vivem na estrada, sempre em trânsito, numa comunidade nómade mais envelhecida e às margens da sociedade. O filme contou inclusive com nômades da vida real.

"Um dos momentos mais felizes para mim esta noite foi quando a Frances [McDormand] ganhou", disse Chloé Zhao aos jornalistas. "As pessoas podem não saber tudo o que ela fez, como produtora e como atriz, quão aberta e vulnerável foi e quanto me ajudou a fazer este filme. E como ajudou os nômades a sentirem-se confortáveis nas gravações. Ela é 'Nomadland'".

Com esse Oscar, Frances McDormand entrou no pequeno grupo de atrizes com mais de duas estatuetas da academia, juntando-se a Meryl Streep e Ingrid Bergman (três Oscars, cada), e a Katharine Hepburn (quatro). Ela conseguiu ainda vencer a indicação de melhor atriz, depois de Fargo (1996) e de Três Cartazes à Beira da Estrada (2018).

Indicado para sete estatuetas, o filme Nomadland completa um percurso de sucesso nos últimos meses, depois de ter ganhado quatro prêmios Spirit, os chamados Oscars do cinema independente: melhor filme, melhor realização, melhor montagem e melhor fotografia.

Por The Father, o britânico Anthony Hopkins, que não esteve presente à cerimônia, conquistou o segundo Oscar de melhor ator, 30 anos após a sua premiação pelo papel em O Silêncio dos Inocentes, de Jonathan Demme.

Veja, abaixo, os indicados e vencedores do Oscar 2021 (em negrito):

Melhor filme
"Meu pai"
'"Judas e o messias negro"
"Mank"
"Minari"
"Nomadland" (vencedor)
"Bela vingança"
"O som do silêncio"
"Os 7 de Chicago"


Melhor atriz
Viola Davis - "A voz suprema do blues"
Andra Day - "Estados Unidos Vs Billie Holiday"
Vanessa Kirby - "Pieces of a woman"
Frances McDormand - "Nomadland" (vencedora)
Carey Mulligan - "Bela vingança"

Melhor ator
Riz Ahmed - "O som do silêncio"
Chadwick Boseman - "A voz suprema do blues"
Anthony Hopkins - "Meu pai" (vencedor)
Gary Oldman - "Mank"
Steve Yeun - "Minari"

Melhor direção
Thomas Vinterberg - "Druk - Mais uma rodada"
David Fincher - "Mank"
Lee Isaac Chung - "Minari"
Chloé Zhao - "Nomadland" (vencedora)
Emerald Fennell - "Bela vingança"

Melhor atriz coadjuvante
Maria Bakalova - "Borat: fita de cinema seguinte"
Glenn Close - "Era uma vez um sonho"
Olivia Colman - "Meu pai"
Amanda Seyfried - "Mank"
Youn Yuh-jung - "Minari" (vencedora)

Melhor ator coadjuvante
Sacha Baron Cohen - "Os 7 de Chicago"
Daniel Kaluuya - "Judas e o messias negro" (vencedor)
Leslie Odom Jr. - "Uma noite em Miami"
Paul Raci - "O som do silêncio"
Lakeith Stanfield - "Judas e o messias negro"

Melhor filme internacional
"Druk - Mais uma rodada" (Dinamarca) (vencedor)
"Shaonian de ni" (Hong Kong)
"Collective" (Romênia)
"O homem que vendeu sua pele" (Tunísia)
"Quo vadis, Aida?" (Bósnia e Herzegovina)
Melhor roteiro adaptado
"Borat: fita de cinema seguinte"
"Meu pai" (vencedor)
"Nomadland"
"Uma noite em Miami"
"O tigre branco"

Melhor roteiro original
"Judas e o Messias negro"
"Minari"
"Bela vingança" (vencedor)
"O som do silêncio"
"Os 7 de Chicago"

Melhor figurino
"Emma"
"A voz suprema do blues" (vencedor)
"Mank"
"Mulan"
"Pinóquio"

Melhor trilha sonora
"Destacamento blood"
"Mank"
"Minari"
"Relatos do mundo"
"Soul" (vencedor)

Melhor animação
"Dois irmãos: Uma jornada fantástica"
"A caminho da lua"
"Shaun, o Carneiro: O Filme - A fazenda contra-ataca"
"Soul" (vencedor)
"Wolfwalkers"

Melhor curta de animação
"Burrow"
"Genius Loci"
"If anything happens I love you" (vencedor)
"Opera"
"Yes people"

Melhor curta-metragem em live action
"Feeling through"
"The letter room'"
"The present"
"Two distant strangers" (vencedor)
"White Eye"

Melhor documentário
"Collective"
"Crip camp"
"The mole agent"
"My octopus teacher" (vencedor)
"Time"

Melhor documentário de curta-metragem
"Collete" (vencedor)
"A concerto is a conversation"
"Do not split"
"Hunger ward"
"A love song for Natasha"

Melhor som
"Greyhound: Na mira do inimigo"
"Mank"
"Relatos do mundo"
"Soul"
"O som do silêncio" (vencedor)

Canção original
"Fight for you" - "Judas e o messias negro" (vencedor)

"Hear my voice" - "Os 7 de Chicago"
"Husa'vik" - "Festival Eurovision da Canção: A saga de Sigrit e Lars"
"Io sì" - "Rosa e Momo"
"Speak now" - "Uma noite em Miami"

Maquiagem e cabelo
"Emma"
"Era uma vez um sonho"
"A voz suprema do blues" (vencedor)
"Mank"
"Pinóquio"
 

Efeitos visuais
"Problemas monstruosos"
"O céu da meia-noite"
"Mulan"
"O grande Ivan"
"Tenet" (vencedor)

Melhor fotografia
"Judas e o messias negro"
"Mank" (vencedor)
"Relatos do mundo"
"Nomadland"
"Os 7 de Chicago"

Melhor edição
"Meu pai"
"Nomadland"
"Bela vingança"
"O som do silêncio" (vencedor)
"Os 7 de Chicago"

Melhor design de produção
"Meu pai"
"A voz suprema do blues"
"Mank" (vencedor)
"Relatos do mundo"
"Tenet"