SÃO MIGUEL DO GOSTOSO (RN) –A diretora da escola pergunta aluno por aluno sobre qual curso pretende fazer. Quando chega em Bia, ouve um “nada”, justamente o título do filme que o diretor mineiro Gabriel Martins apresentou na 4ª Mostra de Cinema de Gostoso, no litoral potiguar. “O filme partiu de uma ideia muito simples: a imagem de uma cena, em que a aluna diz que não quer fazer nada. Depois imaginei o desdobramento, de como ela continuaria levando essa ideia até o fim e como isso implicaria no redor dela”, explica Martins.

O cineasta ressalta que o curta-metragem é um questionamento sobre o ritmo frenético da sociedade atual, que não permite a busca de outras alternativas. “A pressão para trabalhar é muito forte, especialmente quando se é jovem”, sublinha.
“Nada” faz um paralelo entre essa pressão exterior e o questionamento interior da protagonista. “Ela passa por um questionamento existencial próprio da idade. É um filme sobre se tornar adulto”, destaca Martins.

A grande pergunta para ele é como filmar um paradoxo, em que há um duelos de forças contrárias sendo exercidos diariamente. “Não quis fazer uma polarização, pois ela não existe na vida. Não há uma representação única de sentimento”, pontua.

Com isso, ele acredita que os espectadores terão um espectro mais amplo para se identificarem, podendo até mesmo discordar da posição da personagem. “Por isso fiz um final sem uma resposta. Aliás, não há mesmo uma pergunta para responder”, observa Martins, que frisa já ter passado pelas crises existenciais de um adolescente e que hoje, aos 30 anos, tem que pensar nas contas a pagar.

Contagem

A história de “Nada” se passa em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, cenário de quase todos os filmes de Martins e da produtora Filmes de Plásticos, que tem como sócios Maurilio Martins, André Novais e Thiago Macedo. A cidade que abriga os cineastas é frequentemente pano de fundo para seus filmes, algo assumido como um ponto estético e subjetivo pela produtora.

Ao lado de Maurilio, Gabriel está produzindo “No Coração do Mundo”, que reunirá os personagens dos dois primeiros filmes da dupla: “Contagem” (2009) e “Dona Sônia Pediu uma Arma para seu Vizinho Alcides” (2011). Em fase de montagem, “a ideia é fazer um mapa de onde crescemos, mostrando esse universo da periferia”, adianta Martins.