Desde pequeno, o artista plástico mineiro Leo Santana vivia às voltas com o desenho. Do desejo de descobrir o que havia do outro lado dos traços em grafite nasceu a aventura pelo universo das esculturas. A sólida carreira no Brasil e no exterior é prova de que deu tudo certo. Agora, na exposição “Do Outro Lado do Desenho”, o artista mostra ao público, pela primeira vez, a gênese de suas valiosas peças.

Para quem ainda não sabe de quem estamos falando, u m importante parêntesis: Leo Santana é o criador da escultura “Drummond no Calçadão”, que embeleza ainda mais a praia de Copacabana (RJ). 

Apaixonado pela figura humana, para a exposição que entra em cartaz, nesta terça-feira (4), na Casa Fiat de Cultura, o artista reuniu 51 obras, entre desenhos em grafite e esculturas em bronze, que têm o corpo humano como eixo central. A mostra traça um panorama dos 26 anos de carreira de Santana.
 
Logo na entrada uma imagem de grande impacto. Não pelo tamanho. A escultura em porte menor do que o de um homem mediano chama atenção pela simbologia. “Escolhi essa obra para firmar essa questão que gosto, de falar da brasilidade e nossa miscigenação. No fim estamos falando de nós mesmos”, elucida.

O lado desenhista, até então pouco revelado, chega à exposição como resultado final, e não a parte inicial do processo de criação das esculturas. “Experimentei inverter o processo. Peguei algumas peças em bronze prontas e as tornei modelos dos meus desenhos”, explica. 

Para o artista, o resultado evidencia um amadurecimento do próprio trabalho. Leo Santana considera que os traços atuais e os trabalhos em 3D ganharam novas nuances e riqueza de detalhes. “O contraponto entre o bidimensional (desenho) e tridimensional (escultura) complementa o trabalho e aproxima o público de meu processo criativo”. 

Quatro Momentos
Em uma galeria sem paredes, o público poderá transitar entre obras de tamanhos variados que ficam [/TEXTO]no chão, sem pedestal. 

A exposição foi dividida em quatro momentos, intitulados “Caderno de Viagens”, “Sangue Bom”, “Amigos” e “Meio de Campo”. Santana explica que tais momentos foram inspirados em situações e pessoas do cotidiano. Em “Sangue Bom”, por exemplo, a inspiração veio de uma turma de jovens com os quais ele trabalhou enquanto morava em Macacos e ministrava oficinas de artesanato. 

Casa Fiat de Cultura (Praça da Liberdade, 10, Funcionários). Até 4/12. Terça a sexta, das 10h às 21h; Sábado, domingo e feriados, das 10h às 18h. Gratuito
 

 

Um roteiro das esculturas de Leo Santana em Belo Horizonte:
 

Henriqueta Lisboa (Praça da Savassi) - 2003
Homenagem da cidade de Belo Horizonte à escritora, poetisa e educadora Henriqueta Lisboa. Sua estátua foi instalada em praça pública, próximo à sua residência.
 
Roberto Drummond (Praça da Savassi) - 2003
Em 2003, foi instalada a famosa escultura em bronze, em tamanho natural, de Roberto Drummond. Uma homenagem da cidade de Belo Horizonte ao escritor mineiro, a estátua foi instalada na Praça da Savassi, que era frequentada diariamente por ele.
 
Encontro Casual (Praça do Encontro - próximo à Rua Goiás, 41, Centro) - 2003
No mesmo ano, quando se comemorava o centenário dos escritores mineiros Pedro Nava e Carlos Drummond de Andrade, Leo Santana criou, para a Prefeitura de Belo Horizonte, a obra "Praça do Encontro – Pedro Nava e Carlos Drummond de Andrade", em tamanho natural. O local onde a obra foi instalada – na rua Goiás, esquina com rua da Bahia – era ponto de encontro de escritores e intelectuais na capital mineira, nas décadas de 1940 e 1950.
 
20 Anos das Diretas (Praça Carlos Chagas) - 2004
O "Monumento 20 Anos Diretas Já" é uma homenagem aos principais articuladores do movimento por eleições diretas no Brasil, em 1984: Teotônio Vilela, Ulisses Guimarães e Tancredo Neves.
 
Encontro Marcado (Praça da Liberdade) - 2005
Bem em frente à Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, há poucos passos da Casa Fiat de Cultura, está o monumento "Encontro Marcado". A escultura, criada em bronze em tamanho natural, homenageia os escritores mineiros Fernando Sabino, Otto Lara Rezende, Paulo Mendes Campos e Hélio Pelegrino.
 
Monumento Doadores e Tiradentes (Assembleia Legislativa do Estado de MG) - 2014
Mais recentemente, em 2014, a Praça da Assembleia ganhou duas obras de Leo Santana: a estátua em bronze de Tiradentes e o "Monumento Doadores Mineiros de Órgãos e Tecidos", ambas em tamanho natural. Esta última foi uma homenagem ao Complexo MG Transplantes—Doadores de Órgãos, que abrange um espaço, sempre atualizado, com os nomes de doadores de órgãos em Minas Gerais.