O premiado escritor e poeta português José Luis Peixoto está em BH para lançamento e debate do romance “Galveias” (Companhia das Letras), a convite do projeto “Sempre Um Papo”. Na obra, o autor volta ao tempo de criança e presta uma homenagem à sua terra natal ao promover um interessante discurso sobre a identidade e a orfandade, tendo como cenário o mundo rural português. O evento acontece segunda (9), às 19h30, no Museu de Artes e Ofícios (Praça Rui Barbosa, 600), com entrada franca.

“Galveias” está entre os grandes romances alguma vez escritos sobre a ruralidade portuguesa. O universo toca uma pequena vila com um mistério imenso. Esse é o ponto de acesso ao elenco de personagens que compõe este romance e que, capítulo a capítulo, ergue um mundo. Como uma condensação de portugalidade, “Galveias” é um retrato de vida, imagem despudorada de uma realidade que atravessa o país e que, em grande medida, contribui para traçar-lhe a sua identidade mais profunda. Os livros de José Luis Peixoto foram traduzidos para 20 idiomas; entre eles, os romances “Livro”, “Nenhum Olhar” e “Cemitério de Pianos” e o livro de poesias “Crianças em Ruínas”.

Xico Sá

Terça-feira (10), também a partir das 19h30 e com entrada franca, mas no MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal (Praça da Liberdade), o “Sempre Um Papo” recebe o jornalista e escritor Xico Sá, lançando o livro “Os Machões Dançaram – Crônicas de Amor & Sexo Em Tempos de Homens Vacilões” (Record). Fechando a trilogia “Modos de Macho & Modinhas de Fêmeas”, a obra reúne crônicas sobre as mudanças de comportamento dos homens nos relacionamentos em tempos de internet, em que até um “perdido” fica mais difícil porque não há como se esconder. Com uma linguagem peculiar e divertida, o autor apresenta as características dos vários perfis masculinos, do machão ao metrossexual.