Um leque amplo de atrações que, para alegria do público ávido por novidades, ocupa a sala 3 da Funarte MG até novembro. E com direito a programações temáticas em datas especiais, como a semana das crianças, em outubro. Desde o último dia 10, a “Ocupação 3.0 – De Lá Pra Cá” dá o ar da graça. 
 
A iniciativa, que traz a assinatura de duas companhias do cenário local, a Cia. Drástica de Artes Cênicas e a Uma Companhia, tem uma série de boas intenções – uma delas, a de servir como vitrine para companhias que vestem a camisa do teatro e do circo no interior do estado, e que poderão mostrar a que vieram também na capital. 
 
A abertura ficou a cargo da cidade de Divinópolis, ou melhor, da Cia Borandá, que mostrou o seu “Circo do Batatinha”. “Existem muitos grupos com uma produção efervescente no interior e que, por uma questão de logística, não conseguiam vir até aqui”, atesta Débora Vieira, da Uma Companhia, uma das idealizadores do projeto. 
 
Mas a região metropolitana também está abrigada sob o guarda-chuva do projeto. Desde essa quinta-feira (17), é a vez de Contagem: a Cia Coletivo Ionesco apresenta a montagem de “O Hóspede”, criada a partir de um diálogo entre textos dramáticos e autobiográficos de Eugene Ionesco. “O Hóspede” traz, em seu cerne, elementos que caracterizam o Teatro do Absurdo. Na verdade, a “Ocupação 3.0” traz três eixos programáticos: “Mostra de Espetáculos”, “Escola no Teatro” e “Processo”. 
 
O primeiro, como o próprio nome indica, contempla espetáculos de teatro infantil e adulto, dança, circo e performance, totalizando 16 atrações. Dentro dela, subdivisões: a “Mostra Minas” contempla os espetáculos do interior de Minas, como já dito. A “Mostra Inédita” (sim, o título também antecipa o escopo) marca a estreia de cinco espetáculos de grupos de teatro da região metropolitana, um de circo proveniente de São Paulo e um de teatro de Recife, além da segunda edição do projeto “BH in Solos”. 
 
O segundo eixo, “Escola no Teatro” tem como foco a formação de público, e conta com apresentações direcionadas a alunos da rede pública. E, por fim, “Processo”, composto por workshops, oficinas, seminário e ateliê.
 
Em novembro, BH recebe ‘In Solos’
 
Em setembro, a “Ocupação” programa atividades como o “III Campeonato Mineiro de Impro”, da Uma Companhia, e a estreia de “He-Man”, parceria da Drástica com a Uma.
 
Em outubro, a programação será composta por atividades voltadas para as crianças, como o espetáculo de formas animadas “O Menino Mutante” de Poços de Caldas e a oficina de jogos teatrais para pais e crianças.
 
Em novembro, a capital mineira recebe a segunda edição do “BH in Solos – Mostra de Espetáculos Cênicos Individuais”, que quer dar visibilidade à crescente produção de espetáculos solo em BH. A coordenação é de Robson Vieira.
 
Débora Vieira aposta, ainda, no seminário de crítica teatral. “A gente acredita que ela tem muito a contribuir, pois a crítica teatral, nos dias atuais, está, de certa forma, meio adormecida. A ideia é refletir sobre o papel do crítico e, ainda, possibilitar a formação de novos profissionais. Acho que vai ser interessante e que vai despertar atenção. Estamos em um momento no qual o crítico procura redefinir seu lugar. Não há muitos mecanismos, em Minas Gerais, para a formação de críticos, os que se formam aqui, é mais de uma maneira autodidata, ou então se formam fora de BH”, justifica.
 
Em tempo: “O Hóspede” tem apresentações nesta sexta-feira (18), às 20h, e neste sábado (19), às 19h, com ingressos a R$ 10 e R$ 5 (meia). No próximo final de semana, o destaque é a oficina “O Jogo Musical no Teatro de Meyerhold”, que convida Raquel Castro. A Funarte MG fica na Rua Januária 68, Floresta. Vale lembrar, ainda, que o projeto foi contemplado pela Fundação Nacional de Artes – Funarte.