Foram quase oito anos à espera da casa própria. Desta sexta-feira (27), a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais atacará de anfitriã e receberá as primeiras visitas, em grande estilo, para o concerto de abertura da Sala Minas Gerais. A primeira apresentação é para convidados, mas, neste sábado (28), a noite será dedicada ao público em geral.

Parte do conjunto arquitetônico do Centro Cultural Presidente Itamar Franco, o espaço, de alto nível acústico, terá 1.477 lugares. De imediato, permitirá a realização de mais espetáculos. Antes, a agenda da Filarmônica dependia do calendário de eventos do Palácio das Artes, o que acabava restringido as datas e o número de espetáculos.

Na inauguração, a Orquestra Filarmônica dividirá o palco com a soprano Edna D’Oliveira, a mezzo-soprano Edinéia de Oliveira, o Coral Lírico de Minas Gerais e o coro da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp). Os 200 músicos vão executar o Hino Nacional Brasileiro e a Sinfonia nº2, Ressurreição, de Gustav Mahler.

“A Sinfonianº2 mostra a gama de dinâmicas que poderemos explorar, desde os sons mais suaves aos mais aterrorizantes”, diz o diretor artístico e regente titular da Filarmônica, maestro Fabio Mechetti.

Concerto de abertura da Sala Minas Gerais. Centro de Cultura Presidente Itamar Franco (rua Tenente Brito de Melo, 1.090, Barro Preto). Neste sábado (28), às 20h30. De R$ 30 à R$ 90.