Até uns anos atrás, ele era só um adolescente que soltava suas rimas em meio aos amigos, criando funks pesados, como os admiradores do gênero gostam. Hoje, Nego do Borel é uma das maiores apostas da indústria fonográfica, com um trabalho bem mais pop e acessível, feito na medida para tocar no rádio e em festas da classe média.

“Meu trabalho está totalmente diferente. Antes eu cantava um funk mais pesado, um batidão, e hoje o que canto é mais leve, com mais letras e conteúdo. Tanto que os shows também são outros. Agora me apresento em outras casas de shows, meu cachê aumentou, o Nego do Borel está mais valorizado”, diz o artista de 23 anos, que acaba de lançar o álbum “Nego Resolve” (Sony) com 11 músicas e três bônus tracks.

Contando com a produção de Mãzinha e Umberto Tavares (que já trabalhou com Buchecha e Anitta), Nego apresenta um funk com forte pegada pop e influência de vários estilos radiofônicos. “Planejei um disco diferente, um disco de sucesso, com um funk que é engraçado e que sensualiza de um jeito light”, diz.
 
Precoce
 

Nego – ou Leno Maycon Viana Gomes – começou a fazer funk aos 10 anos de idade e, quatro anos depois, já começava a registrar suas criações. Antes de fazer sucesso nos bailes funk do Rio de Janeiro, trabalhou fazendo carreto em rede de supermercado e como cobrador de vans que fazem transporte “comunitário”. A vida mudou depois que bombou como compositor de músicas para o coletivo feminino Bonde das Maravilhas.

A música trouxe conforto para sua vida e Nego nem do Borel é mais, pois se mudou para Jacarepaguá com a mãe. A avó não quis sair da favela, mas o artista fez questão de comprar uma casinha para ela.

“Eu não tinha dinheiro para comer pão, mas passei a ter dinheiro com o funk. Logo após os primeiros shows, comprei um computador, que era algo com que sonhava noite e dia. Pude fazer Natal e Ano Novo em casa, comprar novas dentaduras para minha mãe e minha avó”, orgulha-se o rapaz. “Agora tenho estrutura, gravadora, um escritório que fica na Barra da Tijuca”.
 
Malhação
 

A música não é o único trabalho de Nego. Ele também atua na atual temporada da novelinha “Malhação” (Globo), em que vive o personagem Uodson.

No programa, ele atua ao lado de outro cantor estreante na interpretação, o mineiro Lucas Lucco – que, não por acaso, participa do disco “Nego Resolve” com a música “Minha Sina”.

“Não achei que fosse conciliar bem os dois trabalhos, mas estou adorando. Estou conhecendo novas pessoas e o elenco me ajuda bastante”, conta Nego, que estudou teatro dentro de uma escola estadual do Rio de Janeiro e tem uma personagem cômica na internet, a Nega da Boreli.