O ator e roteirista Paulo Gustavo trouxe para Belo Horizonte no fim de semana passado a peça que é sucesso em todo o Brasil e virou dois filmes campeões de bilheteria, "Minha Mãe é Uma Peça".

Apesar da lotação e satisfação do público mineiro, o fenômeno dos palcos fez críticas ao local da apresentação: o Palácio das Artes. Nas redes sociais, o artista relatou que enfrentou problemas técnicos, como falta de luz e ar-condicionado com defeito.

"Beagá foi Lindo Demais! Mesmo com todos os percalços, como num determinado momento a luz do teatro ter apagado e o ar condicionado ter pifado, o que foi super difícil pra mim e para o público presente, ainda assim, foram duas noites lindas de espetáculo. A platéia de 4 mil pessoas foi muito carinhosa e generosa comigo!", postou.

No relato, ele reconheceu que o Palácio das Artes é um dos teatros mais bonitos do Brasil. Porém, Paulo Gustavo anunciou que não voltará a se apresentar no espaço "até que ele esteja em totais condições de receber público e artista".

Em nota, a Fundação Clóvis Salgado, responsável pelo Palácio das Artes, lamentou os problemas técnicos ocorridos durante o espetáculo: "lamentamos profundamente e salientamos que a atual gestão estadual está empenhada em averiguar todas as pendências funcionais e realizar os devidos reparos dentro da programação orçamentária e administrativa para esse fim".

Confira a íntegra a nota do Governo de Minas:

Informamos que as dificuldades apresentadas durante a apresentação do espetáculo "Minha Mãe é uma Peça", no último fim de semana, no Grande Teatro do Palácio das Artes, não têm relação com a exoneração de funcionários comissionados da Fundação Clóvis Salgado.

Ressaltamos que, aos poucos e na medida das urgências, o Governo do Estado está reconduzindo os servidores para suprir as necessidades em todas as áreas da Administração Pública, incluindo os equipamentos culturais.

Com relação aos problemas técnicos ocorridos durante o espetáculo, lamentamos profundamente e salientamos que a atual gestão estadual está empenhada em averiguar todas as pendências funcionais e realizar os devidos reparos dentro da programação orçamentária e administrativa para esse fim.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Beagá foi Lindo Demais! Mesmo com todos os percalços, como num determinado momento a luz do teatro ter apagado e o ar condicionado ter pifado, o que foi super difícil pra mim e para o público presente, ainda assim, foram duas noites lindas de espetáculo. A platéia de 4 mil pessoas foi muito carinhosa e generosa comigo! Obrigado à produção competente da @teatroemmov e a todos que colaboraram pro espetáculo acontecer! O Palácio das Artes é um teatro lindíssimo, um dos mais bonitos do país. Entretanto, até que ele esteja em totais condições de receber público e artista, nós não iremos mais nos apresentar nele. Infelizmente. Para as futuras apresentações na cidade, outras opções serão averiguadas. É triste ver um teatro tão bonito e cheio de história como esse nessas condições: sem cuidado e manutenção condizentes, sem zelo e respeito com relação a tudo o que ele representa para a cultura e para cidade de Belo Horizonte. Espero que o novo governo dê a devida atenção para que os espaços culturais funcionem adequadamente e que assim a arte continue viva. #minhamaeeumapeca #teamobeagá

Uma publicação compartilhada por paulogustavo31 (@paulogustavo31) em