A Secretaria Municipal de Cultura e a Fundação Municipal de Cultura (FMC) lançaram nesta terça-feira (20) dois editais em sequência às políticas públicas de fomento ao setor na capital mineira. Serão abertas as inscrições de projetos para o Descentra 2021, voltado para a  valorização da expressão artística e cultural nas mais diversas regiões de Belo Horizonte, e para a Zona Cultural Praça da Estação, cujo objetivo é reconhecer, valorizar e potencializar as atividades artísticas e culturais dentro da tradicional região central.

Juntos, os dois editais irão injetar mais de R$ 2 milhões no setor cultural da metrópole – valor 30% maior que o destinado em 2019, somando-se às diversas iniciativas que vêm sendo realizadas pela Prefeitura em contribuição à retomada de um dos setores mais atingidos economicamente pela pandemia de Covid-19.

“Os editais investirão um valor muito representativo no setor, podendo beneficiar até 90 projetos culturais das diversas regionais de Belo Horizonte. Eles se somam às ações contínuas e permanentes que estão sendo realizadas desde o início desta gestão e que foram mantidas e priorizadas mesmo após o início da pandemia de Covid-19, reafirmando o compromisso do poder público com a cidade em suas mais diversas dimensões”, afirma Fabíola Moulin, secretária Municipal de Cultura e presidente interina da FMC.

Edital Descentra 2021

As inscrições de projetos para o Descentra 2021 estarão abertas até 20 de agosto. O cadastro de propostas pode ser feito por meio da plataforma Mapa Cultural BH. O edital completo e formulários estão disponíveis neste link.

A ideia é selecionar projetos que visem à valorização da expressão artística e cultural nas mais diversas regionais da cidade, buscando favorecer o desenvolvimento desses locais, do público, artistas, agentes, coletivos, grupos e instituições culturais, de maneira equilibrada e igualitária. 

Neste ano, serão distribuídos R$ 1,5 milhão (acréscimo de 50% em relação ao último edital), divididos entre os seguintes setores artístico-culturais: artes visuais e design, audiovisual, circo, dança, literatura e leitura, música, patrimônio, teatro e multisetorial. Diante da pandemia de Covid-19, uma novidade nesta edição é que serão aceitos projetos de ações exclusivamente virtuais. Também poderão ser inscritas propostas que contemplem atividades presenciais e híbridas (que incluam os dois formatos, ou seja, realizadas presencialmente, com transmissão on-line). 

A seleção dos projetos será feita pela Câmara de Fomento à Cultura Municipal, órgão colegiado formado por representantes do poder público e da sociedade civil. No edital Descentra 2021, busca-se o reconhecimento de projetos que proponham a ocupação descentralizada dos equipamentos culturais públicos e privados e logradouros públicos, além da democratização do acesso à cultura e o fortalecimento das ações realizadas em bairros, regionais e territórios de gestão compartilhada do município.

Os projetos são avaliados de acordo com critérios como a consistência, exequibilidade (orçamento, cronograma, capacidade de articulação e mobilização, entre outros), a acessibilidade, além do impacto cultural e efeitos multiplicadores (formação, descentralização das ações, desconcentração dos recursos e retorno social, entre outros).

Praça da Estação

Desta sexta-feira,(23) até 23 de agosto estarão abertas as inscrições para o Zona Cultural Praça da Estação 2021. O cadastro de propostas poderá ser feito por meio da plataforma Mapa Cultural BH. O edital completo e formulários estão disponíveis aqui

A Zona Cultural Praça da Estação é um território da cidade reconhecido pelo poder público e pela sociedade civil como um lugar de referência plural para a realização de práticas culturais e artísticas, de caráter urbano e tradicionais. Constituída por um conjunto de equipamentos culturais públicos e privados, a região aglutina diversos usos, atividades e manifestações culturais, em caráter contínuo, que possibilitam a fruição da diversidade cultural presente na cidade. O objetivo do edital é reconhecer, valorizar e potencializar as atividades artísticas e culturais dentro desta tradicional região cultural de Belo Horizonte. 

Neste ano, serão investidos R$ 500 mil para projetos das áreas de artes visuais e design, audiovisual, circo, dança, literatura e leitura, música, patrimônio, teatro e propostas multissetoriais. Uma das novidades nesta edição é a inclusão de uma categoria que compreende projetos de manutenção e programação de espaços culturais, além de grupos e coletivos com histórico de atuação na Praça da Estação. Também podem ser inscritos projetos na categoria “Programação”, destinada à proposição de atividades no território da Praça.

Devido à situação de pandemia, os projetos inscritos neste edital deverão, obrigatoriamente, prever uma proposta virtual alternativa, a ser executada caso o período de distanciamento social ainda esteja em vigor no momento de realização das ações do projeto. Essa proposta virtual deverá apresentar similaridades com o conteúdo da proposta principal e, independentemente de sua formatação, estabelecer vínculo com o território da Zona Cultural Praça da Estação. 

A seleção dos projetos também será feita pela Câmara de Fomento à Cultura Municipal, baseada em critérios como a consistência da proposta, sua exequibilidade (orçamento, cronograma, capacidade de articulação e mobilização, entre outros), a acessibilidade e democratização do acesso, além do impacto cultural e efeitos multiplicadores (formação, descentralização das ações, desconcentração dos recursos e retorno social, entre outros).

Leia Mais:
Festival Literário Internacional de BH será realizado em agosto, em formato on-line