Num Brasil partido por ideologias, Iris Apfel propõe uma alternativa diferente. A personagem do espetáculo “Através da Iris”, cartaz deste sábado e domingo, no Teatro Sesiminas, exibe uma “maneira de estar, de ser e de sentir com muito liberdade”, como destaca Nathalia Timberg, que é quem dá voz, no palco, a este icônico nome do mundo da moda.
 
“Iris foge aos cânones, aos padrões normais que nós vemos. Ela tem uma postura muito individualista. Hoje estamos cercados de tantos grupos, com ideias dirigidas, e, de repente, surge esta senhora ousada que propõe uma liberdade individual muito grande”, assinala a atriz, que completará nove décadas de vida em agosto, em plena atividade.
 
Com texto de Cacau Hygino e direção de Maria Maya, “Através da Iris”, apresenta, na forma de uma grande entrevista, a trajetória da empresária e designer de interiores que, aos 84 anos, se tornou referência no mundo fashion. Com o seu estilo único de vestir, ela inspirou exposição no Metropolitan Museum, em Nova York.
 
Percepção e criação
Nathalia não conhecia com profundidade a história de Iris até o texto chegar em suas mãos. “Eu me questionava, antes sobre o apelo que ela tinha. Curiosa, passei a pesquisar e encontrei o livro de Eric Boman, ‘Iris Apfel: Accidental Icon’, em que você entende se tratar de uma criatura com grande capacidade de percepção e criação”.
 
Apesar de gostos mais comedidos em relação à maneira de se vestir, Nathalia vê na personagem um desafio. “Mesmo para quem não se encanta pela maneira exagerada de sua ‘decoração humana’ – ela adora botar muitas coisas por cima –, não se pode negar o gosto dela muito desenvolvido e o senso de equilíbrio”, destaca.
 
Em viagens ao redor do mundo, ela recolhe acessórios que ganham outra vida ao se juntarem, fugindo completamente a qualquer tendência. Foi o que chamou a atenção de várias primeiras-damas dos Estados Unidos, ao buscarem uma decoração única para a Casa Branca, sede do governo ianque, em Washington.
 
Altivez
Embora defina Iris como uma conservadora, oriunda de uma educação tradicional, Nathalia entende que a postura altiva dela a põe num patamar diferente, citando algumas de suas famosas frases, como “Mais é mais, menos é chato”. Ela também critica, lembra a atriz, das blusas na altura do pescoço e das calças que dão cãibras de tão apertadas.
 
Com um papel na próxima novela das 9, “A Dona do Pedaço”, Nathalia prevê uma turnê mais espaçada devido aos compromissos com a Rede Globo. Mas pretende completar 90 anos ainda com a peça em circulação pelo país. A divulgação destaca o fato de ser um espetáculo comemorativo, mas ela descarta esta ideia.
 
“Esse negócio de comemoração é o que a produção inventou para mim. Motivo de comemoração é fazer uma peça que vem mexendo tanto com as pessoas. É muito estimulante para um ator, apesar da dificuldade de personalizar uma pessoa que ainda está aí, fazer alguém que provoca uma identificação imediata no público”.
 
Serviço:
“Através da Iris” – Sábado, às 20h, e domingo, às 21h. No Teatro Sesiminas (Rua Padre Marinho, 60). Ingresso: plateias I e II – R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia)