2015 ainda é um recém-nascido, mas os integrantes do Tianastácia já preparam as comemorações em torno dos 18 anos do grupo. “Agora, a gente já pode ir para a festa sozinho, né?”, brinca Podé Coutinho, referindo-se à maioridade. “Ou, melhor, fazer a festa”, reitera. Enquanto isso não acontece, Podé aproveita a noite desta segunda-feira (5) para mostrar seu trabalho solo. Intitulado “Coisas da Alma”, o encontro acontece às 20h e integra a plataforma #ClaroExperiencias. O palco é o do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), no Circuito Cultural Praça da Liberdade.
 
O artista estará acompanhado pelos músicos Leonardo Lachini e Marcelo Guerra. Além deles, estão previstas participações de Lan Lan, percursionista que trabalhou com Cássia Eller; de Marcio Mello e de três alunos do projeto Querubins, do qual Podé é co-fundador, junto à mãe, Magda Coutinho. 
 
“Como componho muito, já vinha pensando, há algum tempo, que, se não fizesse um registro, esse material acabaria por se perder. No geral, tenho uma participação grande nas composições do Tianastácia, mas, claro, muitas das minhas músicas não entraram (nos trabalhos do grupo), muitas vezes por não terem a ver com o conceito do disco, ou mesmo do grupo. Então, já vinha pensando em fazer (algo próprio)”. 
 
Veio o convite da Claro, com a qual o Tianastácia já trocava figurinhas, e eis que o show se concretiza nesta segunda-feira (5) – e não só focado no som defendido por Podé, como também por outra vertente de sua criatividade: a de fazer desenhos usando o telefone. 
 
“No show, vamos ter três telas, de aproximadamente três metros de altura, em planos diferentes, onde haverá projeções”, adianta ele, acrescentando que a produção teve uma atenção especial com o cenário, que mescla elementos mais retrôs (como sofás) ao moderno. “Hoje em dia, tudo está associado, música e imagem caminham juntas. Então, nada mais justo que fazer o registro desse meu trabalho em DVD. E acho que vai ficar bacana, é uma coisa muito minha, não tem ligação com Tianastacia”.
Das 16 músicas que serão apresentadas, 12 são dele, inéditas. “Tenho algumas parcerias, com o Beto Nastácia, a Fernanda Mello e a Virginia Carneiro, mas a maioria, fiz sozinho. São coisas da alma mesmo. Há músicas que têm 12 anos – eu fui no fundo do baú –, mas tem outras atuais, de agora, de 2014, e há uma unidade (na set list)”.
 
E qual seria, o denominador comum? “Acredito que o amor, em seus vários sentidos, não só o entre homem e mulher, mas o de pai, de família, de amigo”. Quanto à sonoridade, Podé diz que sim, há baladas, mas, no geral, “a pegada tá muito forte”. “O show tem como base três violões. Tempos atrás, o Leo era uma referência para o Marcelo, e, acredite, os dois nunca tinham subido ao palco juntos”. O DVD resultante do show desta segunda-feira (5) deve sair em março, e incluirá a participação de Samuel Rosa, que vai ser gravada mais adiante. 
 
#ClaroExperiencia – Coisas da Alma – Podé Coutinho. Nesta segunda-feira (5), às 20h. Teatro ll– CCBB BH (Praça da Liberdade, 450). Entrada gratuita. Senhas serão distribuídas uma hora antes do início do show.