A literatura expandida é uma das linhas-guias do vasto universo de pesquisa de Renato Negrão. Poeta, fotógrafo, performer e artista visual, o mineiro se desdobra entre diferentes linguagens, criando narrativas e obras multifacetadas. É o caso de seu mais recente trabalho, o livro-objeto 
“Odisseia Vácuo”, cujo projeto gráfico é assinado por Preto Matheus, do selo SQN Edições. Com produção totalmente artesanal, a obra será lançada neste sábado no Mercado Novo, em evento que terá performance de Negrão e Miguel Javaral.

Segundo o artista, “Odisseia Vácuo” pode ser lido também como um “livro-performance”. “O leitor tem que se envolver para desvendar os processos e ler a obra. A intenção não é castigá-lo, dificultando o entendimento da obra, mas causar uma certa instabilidade, como se fosse uma espécie de jogo”, explica Negrão, ressaltando o caráter artesanal do livro. “O projeto traz essa ideia de circularidade. O formato é cíclico, misterioso; a capa não tem título; o livro é todo sanfonado. O leitor tem que ir invertendo a direção, como se virasse uma grande página”, conta. 

Negrão ressalta que o poema que intitula a obra apresenta uma saga artística através do tempo. “O poema tem nove páginas e traz a relação entre ironia e sarcasmo, ao mesmo tempo em que homenageia os artistas num tempo dilatado. É como se contasse a história de uma grande aventura artística e também deixasse um vácuo para o leitor completar com a sua própria experiência”. 

SERVIÇO:
Lançamento de “Odisseia Vácuo”, de Renato Negrão. Sábado (6), das 13h às 18h, no Mercado Novo (av. Olegário Maciel, 742, Loja 2.176 – Centro). A obra tem tiragem limitada e será vendida a R$ 40.