Os olhares e as bagagens culturais de 10 artistas do Maranhão, Goiás, Rio, Bahia e daqui de Minas se encontraram diariamente nos últimos seis meses em Belo Horizonte. Do convívio em residência, possibilitado pela 7ª Bolsa Pampulha, da prefeitura, nasceu uma mostra que será apresentada ao público neste sábado (14), às 14 horas, em um lugar à altura do projeto: o Museu de Arte da Pampulha.

A iniciativa permitiu que esses homens e mulheres, de diferentes origens, experiências de vida e pontos de pesquisa, pudessem dialogar entre si e também com a capital dos mineiros. O resultado, que se materializou em obras como instalações, vídeos e objetos, ampliou vozes e atuações.

Dessa forma, BH fomenta discussões sobre o que há de mais atual em se tratando de Arte Contemporânea brasileira, como explica a presidente da Fundação Municipal de Cultura, Fabíola Moulin.

"É com muita satisfação que apresentamos o resultado de meses de imersão criativa, dando a oportunidade aos artistas de reverberar para a cidade e para o mundo suas experiências a partir da residência artística em Belo Horizonte proporcionadas pelo Bolsa Pampulha”, afirmou.

O trabalho contou com o apoio do JA.CA – Centro de Arte e Tecnologia. "A exposição apresenta trabalhos que abordam poéticas e temas bastante atuais, a partir de proposições que reorganizam o papel da arte, da obra enquanto processo histórico, de memórias afetivas, de liberdade, de articulações políticas e sociais, de aproximações entre as instituições envolvidas, artistas e público”, completa Samantha Moreira, coordenadora do Centro.

Experiência completa

Em pouco mais de 30 dias em cartaz, a exposição permitirá ao visitante uma experiência completa no Museu. Isso porque o Programa Educativo do Museu de Arte da Pampulha vai oferecer visitas mediadas e atividades educativas. O objetivo é permitir que o público conheça os processos criativos e pesquisas dos artistas residentes.

Em uma das atrações programadas, as equipes técnicas do Museu e do JA.CA apresentarão detalhes do processo de residência artística, desde a seleção dos trabalhos até a organização da exposição. O evento ocorrerá no dia 26 deste mês, às 15h.

A residência

Um semestre que ficará na memória. No período, os selecionados tiveram acompanhamento crítico, técnico e curatorial. São eles: Alex Oliveira (BA), Guerreiro do Divino Amor (RJ), David de Jesus do Nascimento (MG), Dayane Tropikaos (MG), Gê Viana (MA), Sallisa Rosa (GO), Sara Lana (MG), Simone Cortezão (MG), Ventura Profana (BA) e Desali (MG) (veja aqui o portfólio dos artistas). 

De acordo com a prefeitura, o programa realizou ainda diversos momentos de encontro público, nos quais as discussões e experiências se amplificaram, promovendo acesso e diálogo com outros artistas em formação de Belo Horizonte.

Para Fabíola Moulina, da Fundação Municipal de Cultura, o Bolsa Pampulha é um dos projetos mais importantes dessa instituição e é pioneiro em residências artísticas no Brasil.

Serviço:
Exposição 7ª Bolsa Pampulha
Data: 14 de setembro a 17 de novembro, de terça a domingo, de 9h às 18h
Local: Museu de Arte da Pampulha (avenida Otacílio Negrão de Lima, 16.585)
Mais informações: https://www.bolsapampulha.art.br/
Contato: (31) 3277-7996 | map.fmc@pbh.gov.br
Agendamento de visitas mediadas: map.educativo@pbh.gov.br