Breno Nogueira passou a infância inteira com medo de uma vizinha porque simplesmente era desquitada. “As pessoas   falavam baixinho para a gente: ‘Ela é desquitada’”, lembra o produtor mineiro, repetindo a palavra em forma de sussurro. O termo saiu de moda assim que foi instituído o divórcio, mas o preconceito continua, infelizmente, bastante atual.

Para ajudar as crianças a não repetirem atitudes discriminatórias é que ele incentivou a criação da família Araújo, nova atração do canal infantil Nickelodeon. Produção totalmente mineira, realizada  pela produtora Dromedário, “Árvore dos Araújos” estreia neste sábado, às 11h30, misturando questões sociais a uma trama de mistério.

Quando três garotos vão passar as férias na fazenda dos avós, eles começam a investigar, ao lado da filha do caseiro, o que aconteceu a um parente desaparecido. A partir daí mergulham na árvore genealógica da família, descobrindo desde um tio em segundo casamento até um filho de pai desconhecido, passando por um ente em relação homoafetiva.

“Estas relações vão sendo descobertas de forma orgânica, bem natural, a partir do jeito de olhar das crianças, que mostram certa curiosidade e vão entendendo”, assinala Nogueira, que foi instigado a fazer o projeto após um edital para TV pública, em 2016, que propunha tema sobre as diversas configurações familiares a partir do olhar das crianças.

A obra contou com o apoio do Polo Audiovisual da Zona da Mata e foi filmada em Cataguases e em Piacatuba, distrito de Leopoldina

A Dromedário ganhou a seleção e a série foi ar em abril de 2019, liberada para exibição em canais públicos e comunitários do país. “Como a Empresa Brasileira de Comunicação disponibilizava muitos produtos, a série não chamou tanta a atenção das emissoras na época. Eu precisei avisar a Rede Minas, que tinha uma série bacana e feita em Minas, para ela passar”.

Vencido o período de exclusividade, a produtora pôde apresentar a série para outros players do mercado de TV e a ViacomCBS (proprietária da Nickelodeon) ficou interessada. “Como estava quase inédita, acho que isso contribuiu para a Nick fechar contrato com a gente, não se importando com o fato de ter sido apresentada antes”, registra.

Para Nogueira, entrar no radar de uma grande empresa de comunicação mostrou que tinha em mãos uma obra relevante.  “Eles viram um primeiro episódio, enviaram para a matriz, que gostou e aprovou a contratação. Nós também ficamos muito felizes porque a Nick é um canal que topa algumas bandeiras, que busca avançar um pouco neste tipo de causa”.

Veja o trailer: