Dibango

Digite aqui a legenda

Se os efeitos da pandemia do novo coronavírus ainda são moderados no continente africano, um dos seus principais nomes na música se transformou em uma das vítimas fatais da Covid-19. O saxofonista camaronês Manu Dibango, de 86 anos, estava internado na França e não resistiu às complicações provocadas pela enfermidade.

Emmanuel N'Djoké Dibango foi, ao lado do nigeriano Fela Kuti, um dos expoentes do movimento conhecido como Afrobeat (ou Afrojazz), unindo os instrumentos de sopro à percussão típica africana. Seu principal sucesso foi lançado em 1972: Soul Makossa, que inspirou vários grupos de R&B norte-americanos. Embora tenha lançado seu último trabalho de estúdio em 2013, ele ainda se apresentava em shows na Europa e no país natal.