Começa nesta quinta, 21, enfim, a exibição brasileira da sexta temporada da série The Blacklist, que terá um total de 22 episódios, que serão mostrados toda quinta-feira, às 22h, no canal AXN. Complicado falar de um seriado tão longo sem deixar de dar algum spoiler, mas se você acompanha a história desde o início, com certeza sabe o bastante para não se chatear.

The Blacklist conta a história de um dos criminosos mais procurados pelo FBI, Raymond Reddington, que é interpretado pelo ator James Spader. Para quem não acompanha, certo dia Red, também conhecido como concierge do crime, decide se entregar, mas tem uma exigência. Ele só aceita falar com a agente Elizabeth Keen (Megan Boone). A partir desse dia, estaremos todos atentos a essa relação, que é cercada de mistério. E, a cada episódio, Red oferecerá à equipe de agentes um nome dessa tal "lista negra".

Desde esse início, lá em 2013, acompanhamos todas as reviravoltas da série, que teve seu ápice no último episódio da quinta temporada. (spoiler) Primeiro descobrimos, no fim da quarta temporada, que Lizzy é filha de Reddington. Puxa, ele, esse ser que é capaz de matar a sangue frio, mas que muitas vezes tem demonstrações de amor e carinho que nos emocionam, é pai da doce Elizabeth. Mas, chega essa quinta temporada, com um final que trouxe mais uma dessas reviravoltas para dar um nó na nossa cabeça. Sim, no último capítulo, descobrimos que não, Red não é o pai de Keen. E agora? Aliás, quem é esse cara que diz ser Raymond Reddington? Até isso ficou para ser elucidado. E agora, com essa dúvida a ser esclarecida, Lizzy fará um pacto com sua irmã Jennifer (Fiona Dourif) para elucidar a questão e se vingar desse homem que até agora só mentiu, ou não? Pelo trailer, Red terá muito trabalho pela frente, pois até preso ele será.

Bem, desde o primeiro episódio da primeira temporada, um dos pontos fortes de The Blacklist é, com certeza, a trilha sonora. Em cada cena mais forte, mais emocionante, uma música complementa com precisão. Isso deixa uma marca na história. Um exemplo é a canção The Sound of Silence, interpretada pela banda de heavy metal Disturbed. Uma cena que foi de chorar, e muito.