O escritor mineiro Silviano Santiago vem a Belo Horizonte nesta quarta-feira (1º), às 19h30, para o debate "Memória e Criatividade", que traz ainda a neurocientista Jociane Myskiw ao CCBB. Este é o segundo encontro da série Arte & Ciência, que estreou em junho debatendo 'A mente e o poder da música'. Os encontros são mensais, com temas diferentes até dezembro, relacionando o universo da arte e da ciência.

Além de Jociane Myskiw e Silviano Santiago, estão confirmadas no CCBB as presenças dos físicos teóricos Luiz Pinguelli Rosa e Rogério Rosenfeld; da biogeneticista Mayana Zatz; do matemático Francisco Antonio Doria, parceiro de Newton da Costa; do cientista Edgard Morya, da equipe de Miguel Nicolelis; do poeta Antonio Cícero; da filósofa Olgária Matos; da pesquisadora de novas mídias e ensaísta Lucia Santaella; dos artistas plásticos Arthur Omar e Ivald Granato.

Conheça a mesa:

Silviano Santiago doutorou-se em Literatura Francesa pela Universidade Sorbonne (Paris). Foi professor nas universidades de Rutgers, Toronto, Nova Iorque, Buffalo, Indiana, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e Universidade Federal Fluminense. Entre seus livros de ficção destacam-se Em Liberdade, Stella Manhattan, O Falso Mentiroso, Heranças e os livros de contos Keith Jarrett no Blue Note e Anônimos. Seu mais recente romance é Mil Rosas Roubadas. Recebeu três vezes o Prêmio Jabuti nas categorias de Romance e Conto. Em 2013, recebeu o prestigioso Prêmio Machado de Assis pelo conjunto de obra, outorgado pela Academia Brasileira de Letras e, em 2014, o Prêmio Ibero-americano de Literatura José Donoso (Chile).

Jociane Myskiw é doutora em Medicina e Ciências da Saúde com ênfase em Neurociências pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2008) e Pós-Doutora pela PUC RS (2012). É professora adjunta do Instituto de Geriatria e Gerontologia da PUC RS e pesquisadora do Centro de Memória, Instituto do Cérebro do Rio Grande do Sul. Realiza pesquisas há mais de nove anos no Centro de Memória da PUC RS e foi a primeira pesquisadora a demonstrar que a exposição a um ambiente novo pode facilitar a extinção da memória de medo.

O debate Memória e Criatividade tem duração de 120 minutos e é gratuito.


Debate: Memória e Criatividade

Data: 1º de julho (quarta-feira)

Horário: 19h30 às 21h30

Debatedores: Jociane Myskiw e Silviano Santiago

Local: Centro Cultural Banco do Brasil / Auditório
Praça da Liberdade, 450 – Funcionários | 31 3431-9400

Classificação indicativa: 12 anos

ENTRADA GRATUITA – mediante retirada de senha, distribuída com uma hora de antecedência.


PROGRAMAÇÃO

01/07
MEMÓRIA E CRIATIVIDADE

Como a ciência define a memória? Como o artista, e principalmente o escritor, trabalha com ela? Até que ponto podemos aproximar memória e imaginação?
Debatedores: a neurocientista JOCIANE MISKIW e o escritor mineiro SILVIANO SANTIAGO

05/08
O FUTURO DO HUMANO

Como os estudos e pesquisas sobre o funcionamento cerebral podem contribuir para o bem estar humano e o que esperar para o futuro? À luz das novas tecnologias, ainda podemos falar em humanismo ou o próprio sentido do humano está se desconstruindo? Quais os caminhos da arte?
EDGARD MORYA e LÚCIA SANTAELLA

02/09
LÓGICA E ARTE

Como combinar ciência e arte, decisão e contradição? Como a lógica não-clássica (onde uma afirmação e sua negação podem ser ambas verdadeiras) lida com as decisões e como a arte pode se inspirar em tal pensamento?
FRANCISCO ANTONIO DORIA e ARTHUR OMAR

07/10
A FÍSICA NA FRONTEIRA DA FILOSOFIA

Refletir sobre o universo e sua origem sempre foi uma preocupação da filosofia. Como está esse diálogo hoje? O que descobertas como buraco negro, matéria escura e expansão do universo sugerem ao pensamento filosófico hoje em dia?
ROGÉRIO ROSENFELD e ANTONIO CÍCERO

04/11
A ÉTICA NOS TEMPOS DA BIOGENÉTICA

Como pensar a ética no mundo contemporâneo? Precisamos de uma bioética para enfrentar os desafios propostos pela biogenética e pela biotecnologia?
MAYANA ZATZ e OLGÁRIA MATOS

02/12
A TERCEIRA CULTURA

Como as ciências, a filosofia e as artes podem se aproximar culturalmente e abrir novos caminhos do conhecimento e da sensibilidade?
LUIZ PINGUELLI ROSA e IVALD GRANATO