Desde março de 2020 que os integrantes do grupo mineiro Galpão não subiam num palco. Esse jejum forçado, provocado pela pandemia, foi quebrado nas últimas semanas, quando Antonio Edson, Eduardo Moreira, Inês Peixoto, Lydia del Picchia, Simone Ordones e Teuda Bara realizaram gravações no piso sagrado do Galpão Cine Horto, espaço que recebeu todas as peças da trupe desde quando foi inaugurado, em 1998.

O reencontro, com direito a boas doses de emoção, é um dos desdobramentos do espetáculo “Sonhos de uma Noite com o Galpão”, que estreará neste domingo, às 21h, em formato online, por meio do aplicativo Zoom. “Esse momento foi muito bonito e emocionante. É um retorno gostoso ao se ver um cenário, uma luz e uma plateia, mesmo que seja formada por apenas duas pessoas”, registra Simone Ordones.

Os dois espectadores citados pela atriz são justamente as pessoas que “emprestaram” seus sonhos para serem encenados por ela. “O diretor Pedro Brício foi quem nos apresentou essa ideia, a partir da pergunta ‘O que as pessoas andam sonhando durante a pandemia?’. Queria saber se os sonhos foram alterados por conta do momento. Sondamos as pessoas à nossa volta e fizemos uma coleta de 150 sonhos”, explica Simone.

Não se trata apenas de contar uma história para as câmeras. De acordo com a atriz, Brício pediu empenho para que colocassem elementos teatrais nos relatos. “Nossos lares se transformaram num palco-casa. Faço diferentes cenas no quarto, no corredor, na cozinha... Tudo feito numa linguagem que não é lógica, não é racional, vinda lá do inconsciente. Logo vimos que tínhamos um material muito precioso em mãos”.

Simone salienta que o novo espetáculo estimulou o seu interesse pelo universo do sonho, algo que nunca tinha dado tanta a atenção, a ponto de, constantemente, não se lembrar para onde o seu inconsciente havia lhe levado durante a noite. “É um exercício. O incrível é que, após começar a ler o livro de Sidarta Ribeiro, ‘O Oráculo da Noite: A História e a Ciência do Sonho’, a memória dos sonhos foi estimulada”, registra.

Numa das cenas mais divertidas da peça, um homem vive uma saga para conseguir comer um frango, passando pelos mais diversos obstáculos. “Quando escutei pela primeira vez, dei gargalhadas. Sem humor não dá para viver”, assinala Simone, para quem o público será pego pela emoção. “Os outros sentidos serão bem estimulados, o que pode ser interessante para quem assiste”.

SERVIÇO:

“Sonhos de uma Noite com o Galpão” – De 21 de agosto a 12 de setembro, aos sábados e domingos, sempre às 20h. Ingressos gratuitos podem ser retirados pela Sympla