Até que ponto a música e as histórias em quadrinhos podem estar ligadas? No trabalho “Adeus, Aurora”, disco que a banda Supercombo apresenta domingo em Belo Horizonte, as duas manifestações artísticas são inseparáveis e contam a história da personagem que dá título ao álbum e à HQ do grupo.
 
“A gente acompanhava os nossos fãs criando relações entre as músicas, teorias de que uma era continuação de outra. Na verdade, a gente nunca tinha feito isso intencionalmente, mas no disco decidimos criar uma história para unir essas canções”, explica o músico Pedro Toledo, guitarrista da banda. 
 
Assim, Aurora ganhou os quadrinhos, lançados na edição de 2018 da Comic Con, e um disco, lançado pelo grupo em março.
 
super

A banda Supercombo é um dos destaques do cenário nacional 

 
 
A história musical e gráfica da personagem acompanha temas já explorados pela banda, como o autoconhecimento. “Sempre estamos nos questionando e tentando evoluir de alguma maneira e isso reflete nas nossas músicas”, pontua o guitarrista. 
 
Os questionamentos desembocam também em temáticas mais delicadas, como a saúde mental – assunto recorrente também em outras canções do grupo, como “Amianto”, de 2015, parte do repertório do show. 
 
Além da canção que é um dos grandes sucessos da banda – só no Spotify são mais de 35 milhões de reproduções na versão original e na acústica – o Supercombo toca músicas do disco “Rogério”, de 2016, e apresenta na íntegra o álbum “Adeus, Aurora”. 
 
SERVIÇO
Supercombo e Scalene, domingo, às 18h30, no Sesc Palladium (av. Augusto de Lima, 320 – Centro). Ingressos: 
R$ 80 (inteira), R$ 40 (meia)