O que acontece quando dois talentos se juntam para uma empreitada? No caso da iniciativa referente à dobradinha firmada pela desenhista Lu Cafaggi e a escritora Bruna Vieira, ambas mineiras, a resposta é: um livro para se tirar o chapéu floppy, para citar o modelito da hora. Bruna, você sabe, é um fenômeno da literatura teen. E Lu, talento a todo prova.

O livro “Quando Tudo Começou – Bruna Vieira em Quadrinhos”, que sai chancelado pela Nemo, é simplesmente... lindo! O trabalho de Lu é um primor – e olha que ela só tem 27 anos. Aliás, como a entrevista com a garota foi feita por telefone, ela mesma brinca com sua voz: “Aposto que você pensou que eu tivesse menos (idade), não?”, diverte-se, referindo-se ao que seria uma entonação mais ligada a faixas etárias mais baixas. Lu conta que não conhecia Bruna pessoalmente. “Mas, claro, já a conhecia de nome”. Enfatiza, porém, que a proposta, aqui, era focar o início da adolescência. “Quando vi, percebi que tinha mais a ver com o universo o qual já estava de fato acostumada a trabalhar”.

Lu se debruçou sobre um período de turbulência na vida de qualquer mulher, permeado por inseguranças de toda sorte. “Questões como fazer amigos, as inseguranças com o próprio corpo e mesmo com a própria identidade. Achei que seria legal tratar desses assuntos, meio que uma oportunidade de dar um ‘abraço’ nestas meninas que estão passando por este período que traz muitas incertezas”, conta ela.

Feedback
Claro que, por meio da editora, Lu acabou conhecendo pessoalmente Bruna. “Passamos uma manhã inteira conversando. Foram horas, ela me contando das situações que já viveu, dos medos, sonhos, da pessoa que queria ser... Percebi que tinha muito a ver com o início da minha adolescência também, e, claro, certamente com o de muitas outras meninas”.

A partir daí, Lu delineou o roteiro, submetido à aprovação da editora e de Bruna. Com o sinal verde, seguiu adiante. “Fluiu até fácil, mas a produção foi pesada, acordava às seis da manhã e dormia à meia-noite”, diz ela, que estava envolvida também com o trabalho sobre o universo de Maurício de Souza, ao lado do irmão Vitor. Embora o livro sobre Bruna tenha chegado agora ao mercado, Lu se diz satisfeita com o feedback já aferido. “Li algumas resenhas, na última semana, que me deixaram feliz, vi que a história conversa com as pessoas”, diz.

Vintage
Uma outra pérola que adentra as livrarias é “Bonequinhas de Papel” (Galerinha Record). Com ar vintage, é a primeira obra de colorir do selo dedicada ao público infantil – certeza, porém, que o juvenil e mesmo o adulto vão adorar. Criada pela empresa de design coreana Afrocat, a série de ilustrações PaperDoll Mate certamente vai ser familiar a quem já colecionou papéis de carta, estojos e caderninhos na infância.
 

Editora Nemo também lança segundo volume de "Fazendo Meu Filme Em Quadrinhos"

Também pela editora Nemo, um dos braços da Autêntica, chega ao mercado “Fazendo Meu Filme Em Quadrinhos 2 – Azar no Jogo, Sorte no Amor?”, de Paula Pimenta, outro nome de destaque na nova cena literária mineira, no escaninho das publicações direcionadas ao público teen: ela já vendeu mais de 950 mil livros no Brasil. Fani, pois, está de volta, e, aqui, os leitores passam a conhecer e a descobrir uma característica dos personagens até então ainda não revelada: o time do coração de cada um deles.

A sinopse: “a confusão começa quando Alan se mete em uma briga de torcida e os amigos acabam se envolvendo. Fani e sua turma poderão responder aos leitores se azar no jogo significa mais sorte no amor, como diz o ditado”

Perguntada sobre a repercussão do primeiro volume de “Fazendo Meu Filme” em quadrinhos, Paula nem hesita: “Foi ótima! Os leitores estavam muito ansiosos tanto para matar a saudade da turma da Fani, já que o último livro da série tinha sido lançado três anos antes, quanto para ver a imagem dos personagens, para saber como eles eram fisicamente”.

Na verdade, Paula conta que já tinha uma imagem bem definida de Fani e dos outros personagens desde que começou a escrever. “Então, só tive que fazer um ‘retrato falado’ para os desenhistas. Eles me apresentaram várias versões e fomos ajustando até ficar exatamente como eu os visualizava”, repassa.
Paula diz que não pretendo dar uma continuidade à série dela (Fani), mas pondera que, com as HQs, tem mostrado detalhes novos que os leitores ainda não conheciam. “Tenho desenvolvido ‘episódios’ diferentes, que se passam no período de todos os livros da série’, explica.

 

O "Livro das Criaturas de Harry Potter" é outra boa dica para presentear no Dia das Crianças

Não se trata de um lançamento recente, mas vale como dica para o Dia das Crianças. “O Livro das Criaturas de Harry Potter” (Galera, R$ 99, 308 páginas, coloridas e ilustradas, formato capa dura, 24 X 28) é o primeiro livro dedicado exclusivamente ao processo de elaboração das criaturas dos filmes de Harry Potter. Dos dementadores, duendes e serianos aos dragões cuspidores de bolas de fogo, o livro mergulha nos arquivos da produção para oferecer aos leitores um olhar aguçado sobre as criaturas mágicas retratadas no mundo de bruxarias dos filmes baseados na obra de JK Rowling. Nas páginas internas, há fotos em alta resolução de cada uma das criaturas.