Além de formidável escola para qualquer ator, a comédia mereceria ser estudada como preciosa ferramenta para levar o público à reflexão. É o que advoga Denise Fraga, obcecada confessa pelo que o tempo cômico teria de musical, de matemático, de milimétrico.

O sofisticado exercício dessas nuances traz a grande atriz do teatro, da TV e do cinema à cidade de novo. Em março, ela esteve à frente de “Sem Pensar”, no Palácio das Artes. Na próxima quarta-feira, ela leva para o mesmo palco o espetáculo “Chorinho”.

Escrita e codirigida por Fauzi Arap – uma das lendas do teatro brasileiro em todos os tempos, colaborador dos trabalhos mais memoráveis de Maria Bethânia –, a peça aborda a relação singular de duas mulheres: uma aposentada, solteira e solitária, mas bem instalada, e uma moradora de rua, uma personagem que não teve a lucidez reduzida pelas asperezas da rua. Pelo contrário.

Cláudia Mello e Denise, respectivamente, interpretam as duas personagens. Codirigida por Marcos Loureiro, cujo talento demonstrado no teatro habilitou ao cinema, a montagem tem uma história curiosa. É uma remontagem. Tinha Caio Blat no papel de Denise e a mesma Cláudia no papel de agora.

Na época, o texto foi premiado pelos críticos pela sutileza e a profundidade com que falava da tolerância, de gentilezas, de hipocrisias e do quanto um encontro verdadeiro de duas pessoas pode ser positivamente transformador. Sem abdicar do humor, jamais.

Discípula assumida de Fauzi, a quem considera “um mestre, um guru”, Denise foi procurá-lo ao ser convidada a produzir um monólogo. Imaginava uma coletânea de textos, algo assim. Após uma noite sem dormir, Fauzi ligou sugerindo “Chorinho”. E nem precisou mexer no texto, trocar o artigo de sua personagem, “já que falar de como a gente se trata muito mal sem necessidade é o que ele teria de essencial”, conforme define a atriz.

É a primeira vez que Denise trabalha em duas peças, simultaneamente. Por isso, falou com o Hoje em Dia de Porto Alegre, onde apresenta “Sem Pensar” até domingo (15). Depois de quatro apresentações que “Chorinho” cumpre em grandes capitais, entra finalmente em temporada em Sampa, em outubro.

Continue lendo esta matéria na Edição Digital. Clique aqui!