Interpretar a “rainha do rock brasileiro” não é fácil. Perto de completar um ano em cartaz com “Rita Lee Mora ao Lado – O Musical”, a atriz Mel Lisboa tem experimentado esse desafio que traz para Belo Horizonte, neste fim de semana, em três apresentações. “Ela é muito complexa, tem uma personalidade muito forte e, ao mesmo tempo, é múltipla. Estudei tanto... E à medida que ia estudando, a Rita parecia que ia entrando pelos meus poros”, conta Mel.

O musical é inspirado no livro “Rita Lee Mora ao Lado – Uma Biografia Alucinada da Rainha do Rock” (2006, Panda Books), de Henrique Bartsch. A biografia foi autorizada pela cantora e compositora e mostra Rita desde a infância aos dias atuais, por meio da narração de uma personagem ficcional batizada pelo autor de Bárbara Farniente.

Assim como a biografia, o musical também recebeu a benção de Rita. “Ela foi ao espetáculo duas vezes em SP. Ela se divertiu, ficou com carinho comigo. Disse que eu tinha ficado até meio ‘corcundinha’, que é uma característica dela”, lembra Mel, sobre a roqueira, hoje com 67 anos.

Mel Lisboa se transforma em Rita Lee em musical

A peça carrega esses ingredientes da biografia. Além de Mel, há atores que interpretam outros ícones da MPB que fizeram parte da trajetória da cantora, como Caetano Veloso (interpretado por Antonio Vanfill), Gal Costa (Yael Pecarovich), Elis Regina (Flávia Strongolli).

Mel cantará 39 canções. Algumas do repertório de Rita como “Agora Só Falta Você”, “Saúde”, “Banho de Espuma”, “Caso Sério”, “Panis et Circensis”, “Ando Meio Desligado”. Há também músicas de grupos e artistas que marcaram a vida de Rita Lee, como os Beatles, Ray Charles, Tim Maia, assim como, de Caetano, Gal e Elis.

Complexa é pouco. É por isso que para entrevistar Mel Lisboa convidamos uma artista com “conhecimento de causa”. Trata-se de uma das mais conhecidas covers de Rita Lee no Brasil, a paulistana, Lia Santhiago, líder da banda “Rita Lee Cover & Rock'n Boles” criada há 20 anos:

Entrevista - De Rita “cover” para a Rita “do musical”

Rita Lee Cover – Mel, qual foi a maior dificuldade enfrentada em se transformar em Rita?

Mel Lisboa – Foram muitas. A minha ideia não era imitá-la, mas interpretá-la, de uma maneira na qual as pessoas pudessem conhecê-la no palco. Assim, procurei não ser Rita Lee logo de cara. Há muitas Ritas dentro dela. Ela mesma tem muitos personagens: a Rita no palco, na vida pessoal...

Você recebeu alguma crítica, tipo de algum fã ou etc., por fazer a personagem Rita Lee?

Nenhum fã me criticou ainda! Você acredita? E ainda bem que não! (Risos) Talvez eles percebam como tenho respeito por tudo o que é dela. Mas teve apenas o caso de um rapaz, que se apresentava como fã dela, e que escreveu pra mim dizendo que eu poderia emagrecer um pouquinho.

Você já encontrou um cover seu?

(Risos) Nunca encontrei. O que já vi é quando faço um personagem, e o público copia o visual, um corte de cabelo. Em “Presença de Anita”, a tatuagem de estrelas atrás da orelha virou moda.

Qual sua opinião a respeito de quem é um sósia ou cover de alguém famoso?

Eu acho superinteressante este trabalho. Meu conselho é que eles estudem muito e que sejam o melhor que eles possam ser nisso.

Serviço

“Rita Lee Mora ao Lado – O Musical”, dias 28 e 29, sábado, às 18h e 21h, e Domingo, às 20h, no Cine Theatro Brasil Vallourec (Praça Sete, Centro). Ingressos: 1º lote, plateia 1 - R$ 120 e R$ 60 (meia), e plateia 2 - R$ 100 e R$ 50 (meia); 2º lote, Plateia 1- R$ 130 e R$ 65 (meia), e plateia 2 - R$ 110 e R$ 55 (meia). No dia do espetáculo, plateia 1 e 2 - R$ 140 e R$ 70 (meia).