Você tem curiosidade para saber como são os bastidores de uma emissora de TV? Se a resposta for positiva, não deixe de aproveitar o período de férias para visitar o Museu Mineiro. O espaço abriga, até 19 de fevereiro, a exposição “Rede Minas 35 anos: seu lugar, seu mundo”, que apresenta ao público instalações interativas, documentos e equipamentos históricos. Os bonecos feitos pelo Grupo Giramundo para o programa infantil “Dango
Balango” também podem ser conferidos de pertinho. 

O visitante poderá ainda assistir a trechos de programas, selecionados a partir de um gigantesco material de mais de 50 mil horas de gravações. “Arrumação”, “Brasil das Gerais”, “Cinematógrafo”, “Alto Falante”, “Harmonia”, “Agenda” e “Noturno” são algumas produções citadas em meio ao recorte da exposição. Também poderá ver de perto como é um estúdio de TV e os equipamentos usados nas gravações. 

“É importante que as pessoas conheçam o trabalho que a Rede Minas desenvolve, entendendo que ela foi criada para promover prestação de serviço, informação e produtos de qualidade. É importante conhecer a história dessa TV que é feita para os mineiros”, afirma o presidente da Rede Minas, Ronan Scoralick.

Também presidente da Rádio Inconfidência, Scoralick assumiu o comando da emissora no mês passado e garante que estão sendo feitas várias mudanças para garantir uma linguagem mais moderna, sem perder os preceitos de uma comunicação pública. “Nossa emissora não é popular como as TVs comerciais. Por isso, temos uma maior liberdade para criar e experimentar formatos para levar às pessoas o melhor conteúdo possível”, afirma. 

Esse processo de modernização de conteúdo e linguagem está sendo feito por Marisa Guimarães Leite, que foi diretora de programação na TV Cultura e agora assume essa posição na emissora mineira. Além dela, outros membros da diretoria da emissora estão debatendo internamente as diretrizes de linguagem e conteúdo para a nova programação, que deve estrear em março.
 

A partir de terça-feira, o Museu Mineiro dá início à colônia de férias, com várias atividades gratuitas para crianças. Veja no Instagram do espaço
 

EMC

Scoralick acredita que, em breve, o Estado poderá regularizar a criação da Empresa Mineira de Comunicação (EMC), que define a fusão entre a Rádio Inconfidência e a Rede Minas. Enquanto questões burocráticas impedem a formalização da EMC, as equipes da rádio e da TV dividem o mesmo edifício (no Barro Preto) e compartilham informações. “Por enquanto, o trabalho em conjunto é mais visível no jornalismo. No campo administrativo, algumas compras já têm sido feitas em conjunto, para evitar desperdício de tempo com dois processos”, diz o presidente. 

SERVIÇO

Exposição “Rede Minas 35 anos: seu lugar, seu mundo” no Museu Mineiro ( av. João Pinheiro, 342). Terça a sexta, das 10h às 19h; sábados, domingos e feriados: das 12h às 19h