Thiaguinho adotou um estilo mais tranquilo e sem a agitação no palco que virou uma das marcas registradas dele desde o início da carreira. O show em formato acústico, o primeiro do cantor em Belo Horizonte, será apresentado ao público amanhã, no Grande Teatro do Palácio das Artes.

No repertório de “Thiaguinho AcúsTHico”, o pagodeiro apresentará desde músicas novas, compostas para o álbum de mesmo nome lançado neste ano, como “Energia Surreal” e “Miopia Ocular”, a regravações e versões de outros artistas brasileiros, como “Assim caminha a humanidade” de Lulu Santos, “Evidências”, de Chitãozinho e Xororó, “Liberdade pra dentro da cabeça” do Natiruts, “Só hoje”, do Jota Quest e “A estrada”, de Jair Rodrigues –que ele já havia gravado com Gilberto Gil em 2012. 

Os fãs também ouvirão versões de Roberto Carlos e Djavan no show desta quinta à noite, em turnê que esgotou os ingressos em São Paulo e no Rio de Janeiro. “Minha inspiração foi uma vontade de dar uma roupagem nova a algumas canções minhas e canções importantes para mim, que me marcaram e das quais sou fã”, declarou. “Queria fazer um projeto que tivesse uma característica mais intimista, mais romântica”, explica o cantor, cuja performance será acompanhada apenas por piano, violão, baixo e percussão.

Também no setlist sucessos facilmente associados à carreira de Thiaguinho, como “Caraca Muleke” e “Tá Vendo Aquela Lua”, essa última dos tempos em que era vocalista do grupo Exaltasamba. “A música dá a possibilidade de a gente criar e se permitir. Gosto de mostrar facetas diferentes, de cantar com artistas que admiro, de experimentar. É bom ter essa liberdade criativa”, ressalta o cantor, projetado nacionalmente em 2002, quando participou do programa “Fama”, da TV Globo.

Mesmo diante de metamorfoses e explorações de outros estilos musicais, Thiaguinho gosta de se afirmar como um pagodeiro que compõe canções sobre amor e momentos felizes de confraternização. “Gosto de músicas românticas. Amor nunca sai de moda. Embalar as histórias de amor das pessoas é tão legal e o projeto “AcúsTHi-co” é para cantar o amor”. 
“Também faço muitas composições sobre o encontro entre amigos, a felicidade de estar perto das pessoas que amam, ter alegria, ser feliz”, acrescenta.

Bem recebido

O novo formato do show é aguardado com curiosidade pelos fãs de BH, como a presidente do fã-clube UAITHIAGUÉ, Mariana Stéfani. “Estou muito ansiosa. Esse acústico é um projeto diferente que ficou muito bom, e acho legal ele inovar porque não fica cansativo”, acredita.

Com ingressos garantidos para ela e as demais integrantes do grupo, Mariana não espera menos empolgação mesmo na versão acústica das músicas do ídolo, que já acompanha com afinco há oito anos. “Já vi pelos outros shows da turnê que há um momento em que ele dá uma movimentada e uma levantada no público”, diz Mariana Stéfani”.

SERVIÇO
Thiaguinho AcúsTHico
4 de julho - 21h
Palácio das Artes 
Av. Afonso Pena, 1537 - Centro
Ingressos de R$ 110 a R$ 130